sexta-feira, 7 de maio de 2010

Se Eu Não Te Ver

 

Oi, já fazia um bom tempinho que não escrevia aqui, devido a compromissos. Por esta razão também, meu amigo Thúlio não poderá vê-los hoje e me pediu para escrever este artigo. Disse-me que transcrevesse mais uma de suas poesias – que eu gosto pacas! -, mas frisou a importância de que ela fosse de exclusividade para “subscritores” do blog.

A poesia dele é constituída de 10 estrofes e apresentada a seguir. No entanto, para visualização completa dela pelos usuários desse espaço, será preciso assinar o nosso Feed RSS, repita-se! Foi uma maneira que meu amigo pensou de conciliar o útil ao agradável, isto é, além de remeter a idéia do título desta postagem, ainda trazer maior quantidade de assinantes pro Kara Ystúpido ®. E, claro, acender o número de visitas deste negócio.

Tive a ajuda, por Newsletter, do caro colega Marcos Lemos, dono do [ Ferramentas Blog ]. Especificamente, num artigo intitulado “Criar conteúdo exclusivo para assinantes Feed”, recebido em janeiro de 2010. O procedimento fora bastante simples, por sinal.

Se ficou curioso, o que você está esperando? Assine o nosso Feed! Saiba o que são Feeds RSS e tenha sua vida facilitada por eles – pelo acesso organizado e centralizado a uma grande quantidade de informações da web.

 

Low. Recife, 07 de maio de 2010.

KY - Olhar Fixo

 

SE EU NÃO TE VER
Thúlio Jardim, 24/09/2007.

 

[Trecho]

“Eu era cego
Sem ver o quanto você era importante
Eu era cego
Sem ver o quanto você olhava para mim
Eu era cego
Sem ver que você era o meu diamante
Eu era cego
Sem ver que você brilhava por mim

Eu era cego
Sem ver você aqui
Do meu lado
Eu era cego
Sem ver que com você
Sempre estava acompanhado
Eu era cego
Demais eu era

(…)”

 

[Ver Completo (subscreva-se)]

“Eu era cego
Sem ver o quanto você era importante
Eu era cego
Sem ver o quanto você olhava para mim
Eu era cego
Sem ver que você era o meu diamante
Eu era cego
Sem ver que você brilhava por mim

Eu era cego
Sem ver você aqui
Do meu lado
Eu era cego
Sem ver que com você
Sempre estava acompanhado
Eu era cego
Demais eu era

Eu era cego
Ah, sim, eu era
Mas sua luz brilhava forte
Tirou os meus pés da terra
Era uma coisa que nunca havia visto
O quanto cego eu era

Eu era
Ah, sim, eu era
Mas um intenso clarão me jogou para trás
Me deixou uma lágrima ver cair
Me tirou dos olhos a escuridão
Me fez ver o que estava logo ali

Que eu era o pior cego
Que eu não queria enxergar
Fazia vista grossa
Fingia não querer te achar
Tinha em vista procurar me esconder
Insistia na ilusão de querer me enganar

A dor eu vi em mim
Naquele triste fingimento
Naquele dia era tempestade
A dor eu vi
Um nó na garganta difícil de desatar
A solidão presente
Estava querendo há tempos me sufocar
Eu vi em mim
Que meus olhos doíam
Que lágrimas na face minha caíam
Como uma chuva
Eu vi em mim
Que estava me afogando…
Cegamente burro em querer fugir de ti
Eu vi em mim
A dor eu vi

Eu vi em ti doer
O quanto eu fui nó cego e egoísta
Eu estava te fazendo sofrer
Eu vi em ti
O quanto eu fui uma pedra
A tristeza no caminho
Bloqueando uma paisagem antes bela
Eu vi em ti
O quanto teus olhos eram presos nos meus
O quanto minha imagem feia refletia
Nestes lindos olhos seus
Eu vi em ti
O quanto eu era infeliz
Em querer encobrir a dor
Eu vi em ti
O doer eu vi

A olhos vistos
Todos viam minha dor
Era algo que dava na vista
Você é o meu amor


Nada a ver eu tentar tapar meus olhos
Do que eu sinto
Me esconder
Se você é tudo para mim
Eu só penso em você
Você é tudo ao mesmo tempo
Posso até enxergar você
A lua e o sol
O meu firmamento
Que não posso deixar de ver
É por onde sempre navego
Penso em buscar você
A todo tempo
É a minha bússola
É o meu norte
O meu porto seguro
Tu es o meu forte
Você é o meu grande castelo
Sem você eu me quebro
Longe de você eu não espero
Inquieto querendo te ver
Eu te busco
Meus olhos ficam cegos sem você
O mundão é pequeno para tanto querer
O que há de mais belo
Eu não posso perder
Você é o meu bem querer
Eu não posso te perder
Pois você é mais que o sol
É também o meu luar de prata
Não é somente o meu norte
É o leste, o oeste e o meu sul
Sem você eu perco minha guarda
O meu rumo e o meu escudo
Pois você para mim é tudo
E eu sou nada sem você
Fico indefeso sem você
Serei eternamente cego
Perdido no mundo
Se eu não te ver.

Tá na minha cara
Que sou apaixonado
Tá na cara de todo mundo
Que sou louco por você
Estava tão claro
Só que eu me fazia de cego
Mas agora não nego
Que dou na minha cara
Que dou a minha cara a tapa
Se eu não abrir meus olhos
Para você que é o meu mundo
Ficarei surdo, mudo, imundo
Não saberei mais viver
Se, de novo, eu não te ver.“

Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails
Google Analytics Alternative