segunda-feira, 10 de maio de 2010

Quem disse que o Dia das Mães já passou?

 

Boa noite, meus caros.


Vocês bem sabem como eu tenho me empenhado para oferecer-lhes conteúdo sempre atualizado. Entretanto, vez por outra eu trago “poesias recicladas”, isto é, que já havia feito em anos passados. Contudo, percebam que o nome “recicladas” faz menção ao fato de que eu as adéquo, muitas vezes, ao contexto presente. Ainda e sendo assim, como eu não costumo mudar a essência dos textos originais [inclusive mantendo a escrita antiga, “desrespeitando” as normas do arcordo ortográfico da Língua Portuguesa], resolvo com freqüência deixar a mesma data dos mesmos. Não vejo necessidade em apor nova data para algumas ‘segundas versões’ que se assemelham quase idênticas às ‘primeiras’.

Mas o que vem ao caso é que hoje, às 8h58, conclui um novo texto feito em homenagem àquelas que “nos pariu” – sem tom pejorativo, por favor. Não só achei que a maneira com que o elaborei era digna de elogios [sem falsa modéstia], como também os recebi. Que bom! É por conta disso que estou expondo tudo aqui. As mães merecem mais do que um dia, como já falei em mais de um momento, para serem tratadas com o devido respeito e carinho. Elas são seres excepcionais, e é por estas e outras razões [lembrando a música “Outra Vez” de Roberto Carlos – cantor que minha mãe adora e do qual tem a discografia quase COMPLETA!] que eu faço o meu discurso de veneração.


Clique para ampliar
TJ - Banheiro TJ - Setor de Trabalho TJ - Batendo o Ponto

 

Até o fechamento desta edição (veja a hora nas fotos acima), todavia, não foi possível saber se o texto que lhes apresento e que fora remetido à Secretária do Diretor-presidente do Detran de Pernambuco (órgão no qual trabalho), tinha sido entregue aos demais colegas de serviço. Apenas chegou ao meu conhecimento que Marta Rabelo – a secretária –, havia-o encaminhado ao senhor Manuel Marinho – presidente do DETRAN - para análise e possível deferimento.

Estou no aguardo para que, quem sabe terça-feira (amanhã), eu tenha um parecer favorável. De toda forma, exponho abaixo a mensagem enviada, assim como o texto “completo” (na verdade, apenas minhas falas são expostas, haja vista que não pedi autorização à parte envolvida, para poder mostrar a nossa conversa) do pedido que fiz a Marta (clique para download), a fim de que vocês tenham a noção exata de como fora o procedimento.

Espero que gostem! Ficou um pouco longo, mas acho que não (está) cansativo.

 

Observem:

 

KY - Amor Eterno - Dia das Mães

 

QUEM DISSE QUE O DIA DAS MÃES JÁ PASSOU?
Thúlio Jardim. Recife, 10/05/2010.



Pode ter soar estranho a pergunta [“ter soar” também tem um soar estranho, não?!], principalmente numa sociedade onde as mães só são lembradas em datas específicas. Em que é preciso instituir “dias de comércio” para podermos dizer que elas existem e presenteá-las! Quanta besteira. Não digo a data, que é sempre bom ter o máximo de razões possíveis para estabelecermos um contato mais amoroso com aquela que nos concebeu. Falo de esquecermos-nos dela no íntimo, no dia-a-dia, e pior: logo no dia seguinte ao Dia das Mães.

Por isso, escrevo estas palavras singelas, mas com a mão no peito. Porque mãe tem motivos mil para merecer tal afeto, que eu demonstro. Eu fui eleito seu amor antes mesmo de dizer que a amo. E sei que não só nos momentos alegres eu a chamo pelo nome… e sou correspondido.

Também, nos mais indigestos ela esteve ao meu lado, sempre! Já fiz muitas besteiras e, no entanto, ela nunca me repreendeu de forma demente. Ela sabe que os erros nos ajudam a crescer e, igualmente, releva o que eu faço sem intenção de magoá-la. Revela assim a face bela de uma situação tida como feia ou crítica. Eu bem sei, já passei…

Lítica paixão, não há mais pura! As estrelas que banham o telhado de nossa casa, parecendo o seu ático, atiça inda mais minha “loucura”. Este sentimento parece até tortura, para quem é pai: gera ciúmes! Mas não é competição, é querer ser o centro da atenção, como o próprio nume. Estar neste posto é como ser elevado ao cume da exultação.

Sendo assim, peço a todos vocês, colegas e amigos, que rumem ainda hoje e dêem aquele abraço nela - que não deram anteontem. Pois não era Dia das Mães ¬¬. Faça o mesmo com o seu pai, senão será uma completa contradição (esperar o dia dos pais). Ou telefonem, se a distância não permitir um carinho físico para com eles, isso não reduzirá o calor das suas palavras nem o apreço dos seus genitores.

E não existe número limitado de frases para dizer que sem eles não somos nada. Não é uma realidade que não esteja a seu alcance, mesmo se o seu pai é sério ou sua mãe é uma “chata” . Amanse as feras! Afinal, há diversas formas de externar o apego, cada um de seu jeito. Mas, no final, o amor é númeno e é sempre o mesmo.

 

 

Thúlio Jardim. Recife, 10 de maio de 2010.
08h58.

 

 

Detalhe - A cor rosa das minhas fotos pode parecer afeminada, mas tudo bem, pois este texto que redigi foi para contemplar nada mais nada menos que o ser mais feminino do mundo: a MÃE.

 

« Veja o texto na íntegra »

Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails
Google Analytics Alternative