quinta-feira, 29 de abril de 2010

Golpe do Celular: você já foi pego?

 

KY - Meu Celular

 

Precisamente na outra quinta-feira, 22 de abril, recebi mensagem via celular que me informava ter sido sorteado com uma casa de 100 mil reais! Ou seja (deduzi, de pronto): fui o contemplado com uma manobra leonina. Eu mereço… ^o)

Um(a) idiota golpista me passou o seguinte SMS, naquele dia:


“(WEB SBT. DOMINGO LEGAL) INF.PROMOCAO ANO NOVO DE CASA NOVA SEU APARELHO FOI SORTEADO C/1.CASA DE 100.Mil P/INF.LIG DE 1.FIXO GRATIS.0318596482250.fale eu sou+sbt.E sua senha é 2580.”


O texto é exatamente este, sem alterações quanto à pontuação e formatação. Visivelmente fácil de constatar, então, a intenção de burla:

  • Primeiro, porque está pessimamente elaborado. Há intercalação desnecessária entre letras maiúsculas e minúsculas, falta de espaçamento em algumas partes, deficiência de alguns sinais ortográficos, e, para uma emissora de grande porte como a SBT, o uso exagerado de abreviaturas.
  • Depois, segundo: não me lembrava de ter participado ou me cadastrado em quaisquer promoções da empresa de Silvio Santos.

Ao se observar certos detalhes no número de telefone de retorno, já dá para questionar ainda mais a veracidade da mensagem. Veja:


KY - Golpe do Celular


Em análise ao exemplo REAL citado, nota-se que ao retornar a ligação, a pessoa estaria fazendo uma ligação interurbana sem gratuidade alguma, onde lhe seriam cobradas as taxas pertinentes à ligação para um CELULAR. E que o DDD é do Ceará e não de São Paulo – local da sede do SBT. Ademais, o canal de tevê vem alertando sobre estas falcatruas faz muito, muito tempo.

Já deu para perceber, aqui, que o post de hoje é de utilidade pública a todos aqueles que possuam celular. Sinceramente, dinheiro não dá em árvore e carro não cai do céu. Mesmo assim, cá entre nós, tem gente burra que acredita tanto na própria sorte que se acha capaz de ganhar prêmios do nada, via torpedo SMS, como menciona o balela.info

Esse é o tipo de golpe que só sujeitos bestas pessoas pouco instruídas caem, mas como proporcionalmente o que mais tem no mundo são pessoas assim, é melhor expor este alerta. Dessa forma, ao menos os mais “espertos” (que se deram ao “trabalho” de pesquisar pelo Google) não farão nenhuma merda besteira. ;p

Tá, posso "até ter sido escroto" agora há pouco, em algumas falas que cortei. Mas convenhamos: se existe esse tipo de golpe é porque tem gente que cai e se tem gente que cai, você já sabe porque é…


Telefonemas vêm do Rio

O delegado Manoel Ferraz, que chefiou a Divisão de Repressão a Seqüestro (DRS) da Polícia Civil de Brasília durante seis anos, desde sua criação, e investigou centenas de casos de extorsão por telefone, afirma que, de cada 10 casos registrados no DF, nove golpistas são do Rio de Janeiro. Ele explica que, às vezes, o prefixo é do Ceará (como o que aconteceu comigo) ou da Bahia, mas a chamada é gerada em presídios de Bangu, no Rio de Janeiro. São os líderes das grandes organizações criminosas comandando o crime de dentro dos presídios, por telefone.

A Polícia Civil recomenda que o cidadão não retorne a ligação. “Ligando de volta de um telefone doméstico se entregará a própria identidade aos bandidos, sendo que eles identificarão o telefone de origem. E caso a vítima não queira pagar o que geralmente é solicitado - a título de impostos, taxa de cadastro, protocolo, processamento, doação (beneficência), enfim… -, quase sempre como condição para liberação dos supostos prêmios, os meliantes passam ao plano B (intimidação): fazendo ameaças à família”.

Pauta-se, ainda, que seja providenciada uma denúncia no próprio site da instituição, que varia de acordo com o Estado. Todavia, praticamente nada muda quanto ao procedimento a ser adotado na criação do boletim eletrônico. Tendo sido orientado, inclusive, que se faça ligações para outros órgãos, como o de Defesa do Consumidor – Procon – para o caso de o indivíduo não ter seguido as recomendações postas até o momento, e ter sido lesado de alguma forma após a ligação. Tudo como fora referenciado pelo próprio coordenador geral do Procon-PE, José Rangel, em entrevista feita hoje ao Bom Dia Pernambuco.


Os telefones do Procon-PE para tirar dúvidas são o 0800 2821 512 ou o 3181-7000. O Procon-PE é um órgão vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos do Estado. Outra medida aconselhável seria anotar os horários e o número do aparelho que lhe enviou a mensagem e entrar em contato com a Anatel, através do site http://www.anatel.gov.br/


Não obstante as explicações e o fato já ser público e notório, a maioria das vítimas não registra ocorrência por vergonha de admitir que caiu em um golpe - afirma o delegado Cléber Ferreira, diretor do Departamento de Polícia Metropolitana de Porto Alegre.

Vale salientar ainda um fato recente, do último domingo, que ocorreu com o Vice-presidente da República, José de Alencar, enquanto estava no Rio de Janeiro. Ele foi vítima, por telefone, do chamado Golpe do 'falso seqüestro'. Ao chegar à Câmara dos Deputados nesta terça-feira para uma homenagem, o vice-presidente contou que recebeu uma ligação em sua residência, quando estava sozinho, de uma pessoa que expunha ter seqüestrado sua filha.


“Ao invés de uma arma na nuca, você é intimidado com um celular na orelha”, no dizer deste que vos escreve.


Considerou a violência 'altamente preocupante' e falou, além disso, que manteve a calma durante toda a tentativa de golpe: "Eu estava sozinho, em casa, e atendi um cidadão dizendo que havia seqüestrado minha filha. Ele a colocou no telefone, ela chorou e disse: 'Papai, eu fui assaltada'. E eu tinha absoluta segurança de que era ela, pela voz. Então, eu dialoguei com o camarada por algum tempo, com paciência, e no fim acabou tudo bem".

Alencar contou que o interlocutor lhe pediu R$ 50 mil e que travou o seguinte diálogo com o suposto seqüestrador: "Eu disse para ele: eu não tenho nada aqui, eu estou no Rio, eu não tenho dinheiro aqui. 'Não tem joia?'. Eu disse, não tem joia. 'Mas sua mulher não tem joia?' Não tem joia, ela não usa joia. 'Qual é a atividade do senhor?' Eu disse: eu sou vice-presidente da República. Ele disse assim: 'O quê?' Eu sou o vice-presidente da República. 'Qual é o nome do senhor?' José Alencar Gomes da Silva. E nisso chegou o meu pessoal, a Marisa e as meninas, elas ligaram para a Maria da Graça, minha filha. Ela estava em casa, tudo bem".

Segundo Alencar, não houve tempo para nenhum pagamento, e a Polícia Federal e a Divisão Antissequestro, DAS (antiga DRS, Divisão de Repressão a Seqüestro) estão investigando o caso. A recomendação da Polícia Civil (DAS) é que a vítima desligue o telefone, tente entrar em contato com o susposto seqüestrado e contatar as autoridades imediatamente. O atual delegado da DAS, Marcos Reimão, disse que o vice-presidente agiu errado ao se identificar. “Alencar fez tudo errado. Não tem que falar nada com os golpistas”, explicou.

O fenômeno não é de hoje. Um dos diretores anteriores da Divisão de Anti-Seqüestro da Polícia de Brasília, João Kleiber Esper (que fora afastado desde abril de 2008), chegou a admitir em 2007 o aumento nos casos de extorsão por telefone. Ele acreditava que, se as vítimas entrassem imediatamente em contato com a polícia, o crime poderia ser evitado. "Infelizmente não podemos dizer nunca à vítima que a situação é falsa ou que é um golpe, pois a ação do bandido é imprevisível", dizia.

A Polícia continuava, ratificando: “a extorsão, crime previsto no artigo 158 do Código Penal Brasileiro como constranger alguém mediante violência ou grave ameaça com o intuito de obter para si ou para outrem indevida vantagem econômica, está na moda”.

Mas o importante é que o Vice-presidente está bem, não é? Apesar de ter corrido sério perigo por “se gabar” do cargo público. Em direito, o que se sucedeu com ele é chamado de Coação Moral Irresistível Putativa. Informações melhores sobre tal tentativa de extorsão podem ser conferidas no Portal de Notícias Terra.

Quanta à palavra golpista, voltando ao capítulo da minha história, ela é epicena ou sobrecomum, por esta razão eu nem saberia dizer se quem me enviou aquela mensagem SMS era homem ou mulher, daí o porquê do uso do parênteses “(a)” logo no início deste artigo. Não saberia também, porque não fui tolo em ligar para o número e ver no que iria dar. No entanto, uma coisa é certa: isto geralmente é proeza de um grupo bastante organizado (facções) e não de uma só pessoa, como já bem explicitado.

Por isso tudo, é preciso muita cautela, não sabemos exatamente com quem estamos lidando. Não devemos em hipótese alguma fornecer dados pessoais ou da família a desconhecidos (observe o quadro “Proteja-se” ao final desta página). Principalmente, quando solicitado o desembolso de alguma quantia em dinheiro.

Além do mais, é cordato desconfiar sempre de mensagens que oferecem muitas vantagens. As operadoras não dão prêmios em troca de recargas para celulares pré-pagos, nem tampouco solicitam o seu número de série (IMEI). Com este dado é possível, lamentavelmente, clonar o aparelho do usuário. Se desconfiar de algo, entre em contato com a sua operadora para confirmar a veracidade das promoções realizadas. E não passe jamais números de recarga para estranhos.


Número de golpes aumenta no fim do ano

Os ‘golpes de facilidades’ (facilidade no envio, pseudo-anonimato, dificuldade no rastreio, custo baixo…), como também são chamados, ocorrem com maior freqüência durante as comemorações de fim de ano. De acordo com o delegado titular da Delegacia de Defraldações e Falsificações (Defa) do Espírito Santo, Lauro Coimbra, de todas as ocorrências de golpes recebidas nessa época, cerca de 60% são por conta de falsas premiações.

Taí, são tão crescentes os fatos criminosos levados ao conhecimento da Polícia envolvendo direta ou indiretamente os aparelhos de telefonia celular, que é conveniente citar os mais comuns: estelionato, roubo com restrição da liberdade da vítima (seqüestro relâmpago), extorsão e extorsão mediante seqüestro, além do famigerado "golpe do telefone", sendo corriqueira a informação de que as pessoas envolvidas diretamente (autor e/ou vítima) portam telefones celulares no momento da ação delitiva.

Todavia, não pensem que só o que nos aborrece são os golpes ou fraudes. Não, meu caro, não. Também é deveras chateador o recebimento de promoções, “legalmente permitidas”, através da própria operadora do nosso celular ou de outras empresas. Aconteceu com o estagiário do órgão onde trabalho (veja fotos abaixo), e o mesmo continua a receber várias dessas mensagens. Acrescente-se que estas promoções são pagas, e as chances de sermos sorteados são quase nulas (se é que existem)!

 

KY - Celular do Estagiário - 01 KY - Celular do Estagiário - 02

 


― Desabafo ―


E sabe de uma coisa, um desabafo: depois do advento da internet, coisa alguma mais me surpreende. Não me estranha em absolutamente nada saber das estatísticas cada vez mais assombrosas de delitos praticados utilizando ferramentas tecnológicas. O fato é que, hoje em dia, existem até jogos nos quais o jogador interpreta um criminoso, tendo, pasmem, diversas especialidades: fechaduras, direção, armas, computadores, explosivos, organização, persuasão, artes marciais, discrição etc. Chega a ser ridículo, senão trágico. Incitamento deslavado ao crime, ensino à distância, e, o pior, de acesso facilitado.

Como coibir, então, o surgimento dos “profissionais do crime”? Respondam-me!

 

 


PS – Após eu terminar de editar este artigo novamente (em 30-abril-2010), vejam só o que eu recebi:

KY - Promoção TIM

 

FALA SÉRIO!!!




 

 

 

Links para leitura:


Doutrina Jus Navigandi | Telefone celular, instrumento do crimeElaborado em 03/2007, por Celso Moreira Ferro Júnior - delegado de Polícia Civil do Distrito Federal, mestre em Gestão do Conhecimento e Tecnologia da Informação pela Universidade Católica de Brasília (UCB).

O Globo | Golpe do celular segue regras de promoções de TV e telemarketing ― Publicado em 06/06/2007

W News | Golpe do torpedo premiado rouba créditos de pré-pagos ― O que dizem as operadoras. Notícia de 22/08/2006

 

 

Proteja-se

  • Desconfie sempre de ligações de estranhos, principalmente quando oferecem prêmios ou fazem ameaças;
  • Jamais dê qualquer informação pessoal ou familiar a desconhecidos;
  • Nunca dê dinheiro, mesmo quando o negócio oferecido parece fácil e lucrativo;
  • Procure imediatamente a polícia e registre uma ocorrência.
Fonte: Delegado Paulo Cesar Jardim, da 1ª Delegacia da Polícia de Porto Alegre (Centro).

 

Se você já foi pego…

  • Ao registrar o Boletim de Ocorrência, se você já caiu no golpe, forneça eventualmente os números dos cartões de recarga fraudados e o telefone de onde se originou a ligação.
  • Pode também tentar entrar em contato com a companhia telefônica e explicar o ocorrido solicitando o bloqueio dos cartões de recarga para posterior reembolso ou re-emissão.

sábado, 24 de abril de 2010

Vida Vazia

 

Ontem foi Dia Mundial do Livro e do Direito do Autor. Convém lembrar que as poesias expostas neste blog, inclusive a deste post, estão todas registradas pela Fundação Biblioteca Nacional. Por isso, ao copiar alguma delas, não esquecer de espeficificar a fonte (titularidade). Não seja covarde, respeite os direiros autorais! 

Deve-se mencionar, ainda, que a utilização indevida destas obras implica em crime de contrafação (plágio)! Para o caso do uso impróprio ou de alterações sem consentimento do autor…

 KY - Refletido num Espelho

 

VIDA VAZIA
Thúlio Jardim, 22/04/2009.



Refletido num espelho
Um semblante abatido
É para você que eu olho
Quando a casa esta vazia

A lucubração com que observo
Aquela épura carrancuda e fria
Tem sabor amargo de curaçau
E impõe ao meu coração torturas e agonias

Descubro nela que sempre fui o servo
De um amor doentio
Razão que cubro o meu rosto lerdo
Para não ver o meu martírio

Até cobro para me distrair
Contudo, sem ele por perto não posso
Não sei como fazer isso aí
Nada extrai a minha dor, nem ouso

Uso até uma bússola no meu pulso
Porque busco o tridente azul-esverdeado
Quando chego e o vejo logo pulo
Curso nadando, de uma ponta a outra, e cruzo
um renque insulado

Feito em um jogo de bilhar
Queria encontrar a minha amada
Num repique entre os seus olhos e os meus cor de hortelã
Fazer brilhar o amor, quão se ressuscitadas as estrelas
no céu da manhã

Seria, então, recitada pra ela a canção poética
Mas se, quando eu acordo, não a vejo
Elejo a tristeza como minha parceira
E da solidão não me alijo

Adejo com asas que se aleijam pelo vento e farfalham como as da libélula
E se fosse uma oliveira eu sofria de um arejo nas folhas antes belas
Como se o meu coração anêmico tivesse se tornado
Alvejado por tiros de metralhadora

Tudo porque meu erro maior, talvez
Foi falar em demasia sobre aquele amor
Dizer, de uma vez, que seria melhor sem ele
E viver uma vida vazia e uma atroz dor

Isso devido ao fato d’eu o meu amor ter jogado fora
Usufruindo dele por horas e depois indo embora
Como se ela fosse o Titanic, agora rasgado pelo gelo,
E que antes do tempo se emborcara num nigérrimo oceano.




PS - Embora meus poemas estejam REGISTRADOS, eles ainda não foram publicados e quem demonstrar interesse na PUBLICAÇÃO é só entrar em contato, através do email: thuliojardim@live.com

terça-feira, 20 de abril de 2010

Chico Xavier x Eu: MAPA ASTRAL

 

(*) Mapa Astral do Chico Xavier:




KY - Chico Xavier, Mapa Astral Nascido de uma família pobre em Pedro Leopoldo, região metropolitana de Belo Horizonte, era filho de Maria João de Deus e João Cândido Xavier. Educado na fé católica, Chico teve seu primeiro contato com a Doutrina Espírita em 1927, após fenômeno obsessivo verificado com uma de suas irmãs. Passa então a estudar e a desenvolver sua mediunidade que, como relata em nota no livro Parnaso de Além-Túmulo, somente ganhou maior clareza em finais de 1931. O seu nome de batismo Franciso de Paula Cândido foi dado em homenagem ao santo do dia de seu nascimento, substituído pelo nome paterno de Francisco Cândido Xavier logo que rompeu com o catolicismo e escreveu seus primeiros livros e mudado oficialmente em abril 1966, quando da segunda viagem de Chico aos Estados Unidos.

O mais conhecido dos espíritas brasileiros. Contribuiu para expandir o movimento espírita brasileiro e encorajar os espíritas a revelarem sua adesão à doutrina sistematizada por Allan Kardec. Sua credibilidade serviu de incentivo para que médiuns espíritas e não-espíritas realizassem trabalhos espirituais abertos ao público. Chico é lembrado principalmente por suas obras assistenciais em Uberaba, cidade onde faleceu. Nos anos 1970, passou a ajudar pessoas pobres com o dinheiro da vendagem de seus livros, tendo para tanto criado uma fundação.

Os pseudo-céticos adoram tentar “provar” que o Chico Xavier era algum tipo de hiper-inteligente-gênio-do-crime, que utilizava seu “vasto intelecto” para “efetuar leituras frias” nas dezenas milhares de pessoas que iam até ele, através de alguma rede subterrânea mirabolante de contatos que vasculhava toda a vida pregressa das pessoas que o procuravam e forneciam informações secretas para que ele “fingisse” que acertava com precisão gigantesca. Chico, na versão salsinha de Dawkins, certamente possuía algum plano maquiavélico muito secreto, já que nunca ficou com um centavo de todo o dinheiro arrecadado com a venda dos livros que psicografava.

Em vista disso tudo, eu escolhi nesta análise pegar apenas textos de livros escritos na década de 80, ao invés de fazer a minha análise, para que não possam acusar de leitura fria também. Vamos ao mapa:


  • Seu mapa apresenta Sol em Áries, Ascendente em Sagitário e Caput Draco em Gêmeos. Sua Verdadeira Vontade ideal deveria, ao final de sua vida, ser um misto de líder, professor e comunicador. Acho que ele cumpriu bem sua missão… hehehe
  • O Planeta mais forte do mapa é Vênus em Aquário-peixes (27,7graus) na casa 3, com 6 aspectações, sendo a mais forte com Netuno em câncer na casa 8.
    Vênus em Aquário nesta casa é definido como sendo:

Você é uma pessoa totalmente voltada para as causas sociais e dotada para trabalhos profissionais que envolvam lidar com gente, particularmente com grupos específicos de certo contexto social. Trabalha melhor em conjunto e tem jeito para mobilizar o espírito de equipe, mesmo quando sente que o resto do grupo não está à altura das suas expectativas ou ideais. É guiado por princípios firmes quanto a eqüidade e justiça e, como tal, é genuinamente humanitário, comunicando-se com pessoas de todos os níveis sociais. Essa consciência social poderá ser utilizada ao máximo em qualquer profissão em que seja preciso manifestar espírito humanitário“. TOTAL WIN

  • Agora vamos ver o que diz Netuno em Câncer na casa 8

Netuno demora 165 anos a descrever sua órbita em volta do Sol, e cerca de quatorze anos para atravessar um signo. Sua influência afeta uma geração inteira e é associada a uma nova consciência sensorial e espiritual, a uma maior compaixão, em conexão com o signo em que se encontra. Para a maioria das pessoas, essa influência é experimentada a nível coletivo, mas aqueles que têm aspectações fortes com este planeta terão sua maneira pessoal de o expressar durante as suas vidas“.

  • A segunda aspectação mais forte é entre o Caput Draco (em gêmeos) e justamente Netuno, com 0,36graus. Esta espectação diz:

Sua vida é uma jornada em busca do inatingível. Você é guiado por sentimentos e intuições que vão muito além do seu ego pessoal e você poderá ter, ou ansiar por, uma sensação de ligação com as forças eternas no universo. Ao longo de toda a sua existência terrena o vazio da dita realidade lhe é lembrado. Muitas decepções ocorrem para lembrar-lhe da futilidade das ambições terrenas e o campo das relações humanas é penetrado por uma aura de insatisfação. Você está no mundo, mas não faz parte dele.”

  • Outra aspectação muito forte no mapa ocorre entre Saturno em Áries e Plutão em gêmeos

  • Agora vamos ver o que diz Netuno em Câncer na casa 8

  • A segunda aspectação mais forte é entre o Caput Draco (em gêmeos) e justamente

Netuno demora 165 anos a descrever sua órbita em volta do Sol, e cerca de quatorze anos para atravessar um signo. Sua influência afeta uma geração inteira e é associada a uma nova consciência sensorial e espiritual, a uma maior compaixão, em conexão com o signo em que se encontra. Para a maioria das pessoas, essa influência é experimentada a nível coletivo, mas aqueles que têm aspectações fortes com este planeta terão sua maneira pessoal de o expressar durante as suas vidas“.

  • Outra aspectação muito forte no mapa ocorre entre Saturno em Áries e Plutão em gêmeos (0,35graus). Esta aspectação implica em mudanças de paradigmas da sociedade, de maneira a chocar o status quo (“As questões mais importantes, aqui, são a colossal confrontação de poder entre ideologias cuja dissemelhança é intensa. Politicamente, não há como contornar as batalhas pelo poder. As velhas estruturas experimentam convulsões de morte depois que sobrevivem à sua utilidade. As organizações são despidas e esfoladas até aos ossos. O crescimento só pode voltar a ter lugar depois de profundos cortes cirúrgicos. As mudanças mais importantes neste ciclo de 35 anos irão ocorrer a intervalos de cerca de nove anos. Se você nasceu sob esta fase planetária, pode ser seu destino representar a idéia coletiva, através do trabalho intenso na reestruturação dos processos na sociedade”)
     

Como eu sempre explico, o Mapa de uma pessoa é o resultado da mistura de todas estas nuances. As mudanças do Chico deveriam ser profundas? Sim; foram e ainda são revolucionárias, mas sem “guerra”, pois a outra aspectação também entra na equação, levando a energia de câncer na maneira como ele tratou da questão. Apesar dos inúmeros ataques dos salsinhas crentes e ateus, Chico ficou na dele seguindo seu trabalho humildemente, sem dar atenção para estes ataques: seus atos falam por si só. E o Mapa bate perfeitamente com a Verdadeira Vontade dele aqui no Planeta.




(*) Todo o texto acima é de autoria de Marcelo Del Debbio (Teoria da Conspiração).







Meu mapa astral:



KY - Thúlio Jardim, Mapa Astral

 

Texto retirado de um email que recebi, faz algumas semanas, de uma colega de trabalho, de cabelos áureos, voz suave, muito doce e angélica. Não é necromante (como Chico Xavier era, de certa forma), nem quiromante, cartomante… “Não pretendo advinhar o seu futuro”, dizia. Parecia que repudiava palavras derivadas ou que terminassem no sufixo mancia. “Faço essas avaliações por hobby, quando me chama atenção características da pessoa”.

Sendo assim, tampouco era minha amante! Mas apenas uma pessoa gentil que me pediu - para fazer o meu mapa astral - as minhas informações de nascimento. “Você tem uma personalidade diferenciada e marcante, certamente vai dar bom resultado o teste”, convencendo-me. “Gostaria da informação da hora de quando você nasceu, para tal fim”.

E, então, de maneira caprichosa e voluntária, deu-me o prazer desta leitura abaixo. Muito embora eu seja pirrônico, quando o assunto envolve qualquer coisa que se assemelhe a um horóscopo! Por fim, ainda hoje, ela me indicou o Personare, como tendo sido o sítio onde arranjara a informação descrita.

 

Trecho do email:

“Espero que goste, acho que lhe descreve muito bem. Achei sua personalidade muito boa, nosso mundo precisa de pessoas que nos incentive a melhorar a mudar pra melhor.

(…)

Obs.: Não sou eu que crio o que está escrito (anexo), é um programa fechado.

Um abraço!”

 

O anexo / texto (sem alterações):

SOL EM AQUÁRIO, ASCENDENTE EM ESCORPIÃO
- O REVOLUCIONÁRIO -


De acordo com o seu horário de nascimento, Thúlio, seu signo ascendente era Escorpião KY - Escorpião , que se junta ao Sol em Aquário KY - Aquário   traduzindo uma natureza rebelde, dotada de um grande poder transformador, que não deixa pedra sobre pedra intacta, tendo uma alma naturalmente orientada para varrer as hipocrisias e mudar aquilo que precisa ser mudado.

Escorpião é um signo intratransformador, já Aquário é um revolucionário do externo. Você consegue imaginar o que acarreta a combinação de ambos? Em primeiro lugar, considere que ambos são signos de natureza fixa: obsessivos e de força de vontade concentrada. Segundamente, observe que tanto Escorpião quanto Aquário jamais se satisfazem com pouco: eles querem conhecer as razões ocultas, os motivos secretos. Isso pode dar um pouco de paranóia, mas sem dúvida lhe torna uma pessoa muitíssimo inteligente, do tipo que não deixa escapar absolutamente nada.

A contradição desta combinação diz respeito ao fato de Aquário ser um signo humano, enquanto que Escorpião é altamente animal e instintivo. Você, Thúlio, pode sofrer de um choque natural entre o seu lado mais racional, frio, e sua face passional. Cabeça e instinto entram em choque, e muitas vezes você se assusta com seus próprios processos, angustiando-se com o fato de perceber em si impulsos muito "animais". O problema, Thúlio, é que o homem é o único animal que esquece que também é um animal, e costuma lutar muito contra a própria agressividade natural. Não é uma questão nem de reprimir, nem de soltar, mas de reconhecer tais impulsos e direcioná-los de forma construtiva. Lutando por uma causa, por exemplo, batalhando para tornar o mundo um lugar mais justo e melhor.

Com o tempo e a maturidade, Thúlio, você se torna uma figura e tanto, com muito poder pessoal, unindo a grande inteligência aquariana à força de vontade de Escorpião. Poucas são as coisas que você não consegue transformar, com tanto magnetismo natural. Só tome cuidado para não lutar pelas causas erradas, e para não se rebelar por nada! Tanto Aquário quanto Escorpião são dois signos eternamente insatisfeitos, estão sempre descontentes, perdendo oportunidades de viver a vida com mais estabilidade, principalmente por conta do ascendente em Escorpião, que se cansa dos projetos com facilidade, querendo sempre começar algo novo.

 

Como Thúlio ama?

Thúlio nasceu com o planeta Vênus no signo de Áries: o amor é como um raio, identificando imediatamente seus afetos e sendo espontâneo no que diz respeito a eles. Se você gosta de Thúlio, fique logo sabendo: joguinhos sedutores e manipulações não funcionam. Quem tem Vênus em Áries dá um enorme valor à autenticidade. Pode até ser um bocadinho egoísta, vendo mais seu lado do que o dos outros, mas transmite muito calor quando se apaixona.

 

Vantagem: você está diante de alguém que está sempre em busca de novos desafios e que sempre será capaz de dar uma nova cor ao relacionamento, tirando-o da rotina

Desvantagem: a pessoa de Vênus em Áries costuma ser muito competitiva, muitas vezes não percebendo que chega a competir até mesmo com o ser amado!

Como lidar: Thúlio, com Vênus em Áries, é como uma criança, que gosta de surpresas, aventuras e novidades.

Possíveis presentes ideais:  jogos eletrônicos, jogos de desafio, armas decorativas (punhais, espadas, etc.), carro (se você for uma pessoa rica), ou quaisquer coisas de contos de fada (jogos de RPG ou miniaturas).

O pior que você poderia fazer:  evite desafiar Thúlio. Tentações deste tipo podem gerar o maior transtorno no relacionamento, e você deixa de ter um namoro para se perceber num campo de batalha!

 


Sugestão de sites:

Planeta Sites, O Seu Guia de Sites Nota 10! - Sites de Astrologia e Esoterismo: Confira os principais sites de Astrologia e Esoterismo. Sites de horóscopos, horóscopos diários, mapa astral, tudo sobre simpatias, signos e amor, astrologia chinesa, tarot, numerologia, sonhos, runas, filosofia wicca, feng shui, influência da lua, baralho cigano e muito mais.

domingo, 18 de abril de 2010

O Livro dos Espíritos, 153 Anos

  

Clique para ampliar

 

KY - Allan Kardec O Livro dos Espíritos completa, hoje, 153 anos. A obra, que no original é “Le Livre des Esprits”, é o primeiro registro sobre a doutrina espírita publicado pelo educador e protestante francês Hippolyte Léon Denizard Rivail (1804-1869), mais conhecido no mundo pelo pseudônimo de Allan Kardec.

É o marco zero do Espiritismo e um dos livros mais vendidos, com 30 milhões de exemplares, e foi lançado por Kardec após seus estudos sobre os fenômenos que, segundo muitos pesquisadores contemporâneos, possuíam origem mediúnica, e estavam difundidos pelo Velho Continente no decorrer do século XIX. O trabalho foi organizado em cerca de 20 meses.

A edição apresenta-se na forma de indagações, isto é, perguntas e respostas dirigidas, ao que Kardec afirmava serem dos espíritos, totalizando 1.019 tópicos. Em outras palavras mais precisas: uma Introdução (da lavra de Allan Kardec) e 1018 perguntas formuladas aos Espíritos, com as respectivas respostas.

O livro foi publicado, pela primeira vez, em 18 de abril de 1857. Os primeiros exemplares sairiam da Tipografia de Beau, em Saint-Germain-en-Laye, cidade vizinha a Paris. Foi a primeira obra de uma série de cinco editadas pelo pedagogo sobre o mesmo tema: respectivamente, “O Livro dos Espíritos” (1857) “O Livro dos Médiuns” (1859), “O Evangelho Segundo o Espiritismo” (1863), “O Céu e o Inferno” (1865) e “A Gênese” (1868).

Estruturalmente, a primeira edição do “Livro dos Espíritos” tinha 176 páginas e foi feita em formato grande, com os textos distribuídos em duas colunas. A publicação era composta por 501 perguntas e suas respectivas respostas, divididas em três partes: “Doutrina Espírita”, “Leis Morais” e “Esperanças e Consolações”.

Rapidamente, o livro se tornou popular, inicialmente, na França, país de origem. Em seguida, como um rastilho de pólvora, espalhou-se por toda a Europa. As médiuns que serviram a esse trabalho foram inicialmente Caroline e Julie Boudin (respectivamente, 16 e 14 anos à época), às quais mais tarde se juntou Celine Japhet (18 anos à época) no processo de revisão do livro.

Após o primeiro esboço, o método das perguntas e respostas foi submetido a comparação com as comunicações obtidas por outros médiuns franceses, totalizando em “mais de dez”, nas palavras de Kardec, o número de médiuns cujos textos psicografados contribuíram para a estruturação de O Livro dos Espíritos, publicado em 18 de Abril de 1857, na capital francesa, contendo 550 itens.


Os Fenômenos Mediúnicos

Os fenômenos mediúnicos serviam como passatempo nos salões de Paris, que começava a ganhar ares cosmopolitas. A partir de 1850, a cidade passou por uma grande reforma. Ruelas medievais e casebres deram lugar a avenidas largas e bulevares que convergiam no Arco do Triunfo, símbolo da força da modernidade e da nova burguesia francesa. Com novos parques, a cidade se preparava para virar o século como a Cidade das Luzes. Era tempo de revolução industrial e descobertas científicas, que tornavam o homem capaz de explicar e interferir nos fenômenos ao seu redor. Ou em quase todos.

Porque no meio de toda essa modernidade, as mesas girantes eram uma febre que assolava a Paris de 1850. Os sensitivos alegavam que espíritos se manifestavam com o mundo dos vivos. Eram comuns as reuniões em salões culturais ou mansões de senhoras da sociedade, nos quais as pessoas iam para girar mesas apenas com o poder da concentração. Nas reuniões, havia poetas, intelectuais e nobres. O poeta Victor Hugo era freqüentador assíduo das reuniões e chegou a escrever que “negar a atenção a que tem direito o espiritismo é desviar a atenção da verdade”. Numa noite de maio de 1855, a reunião das mesas girantes aconteceu na casa de uma senhora chamada Plainemaison. Uma das pessoas que compareceu à reunião foi Hippolyte Léon Denizard Rivail, o professor de ciências de 50 anos, que mais tarde viria a adotar o nome “Allan Kardec”. Segundo ele, as mesas não só giravam como batiam no chão e se moviam “em condições que não deixam margem a qualquer dúvida”. A reunião na casa da sra. Plainemaison, realmente, o deixou aturdido e impressionado.


As Sessões

Nas visitas às reuniões, o mais estarrecedor era que as mesas pareciam não só rodar como também falar. Isso mesmo: pareciam indicar letras com pancadas no chão e, quando interrogadas, moviam-se para a direita ou esquerda, tentando comunicar “sim” ou “não”. Em abril de 1856, 11 meses depois da primeira das visitas, a mensagem da mesa perturbou ainda mais aquele professor de ciências. Um espírito teria escolhido Rivail para reunir e publicar os ensinamentos que ele obtinha nas mesas. Rivail não acreditou e pediu que o espírito repetisse a mensagem. “Confirmo o que foi dito, mas recomendo discrição, se quiser se sair bem. Tomará mais tarde conhecimento de coisas que agora o surpreendem”, foi a mensagem que ele recebeu como resposta.

Assim o trabalho começou. Todas as terças-feiras, Rivail freqüentava a casa da senhora Boudin. Julie, a moça de 14 anos, e sua irmã Caroline, de 16, psicografaram quase todas as questões do Livro dos Espíritos. Como a identidade das duas foi mantida em segredo por muitos anos, sabe-se pouco sobre elas. O que se sabe é que Julie era uma médium passiva, inconsciente do que escrevia. Somente achava divertido as pessoas lhe darem tanta importância. As reuniões, dirigidas pelos pais delas, não eram secretas, mas restritas a poucos convidados. Para escrever as mensagens, Julie e Caroline usavam uma cesta-de-bico, feita de vime, com 15 a 20 centímetros de diâmetro e uma espécie de bico com um lápis na ponta. “Pondo o médium os dedos na borda da cesta, o aparelho todo se agita e o lápis começa a escrever”, contou Kardec em O Livro dos Médiuns. Com o tempo, as garotas passaram a usar a psicografia direta, mesmo método usado mais tarde pelo brasileiro Chico Xavier.

As respostas que Caroline e Julie psicografavam eram revistas, analisadas e muitas vezes comparadas a outras mensagens. Kardec afirmava que muitas mensagens de entidades eram ignoradas, ou por terem gracejos ofensivos ou por não fazerem sentido. Também por esse motivo, quanto mais médiuns participassem da composição do livro, melhor.

Quando Rivail acabou de editar as perguntas, surgiu um problema: qual seria o título e quem deveria assinar a obra? Como não se considerava autor, e sim um organizador, deu o nome óbvio: O Livro dos Espíritos. Mas alguém precisava assiná-lo. “Rivail consultou os espíritos e uma entidade deu a ele o nome de Allan Kardec, porque esse tinha sido o nome que ele teve numa vida passada, como um sacerdote druida.” Assim surgiu o nome do pai do espiritismo.

O livro rapidamente correu o mundo e criou polêmica, provocando protestos de padres e cientistas céticos, mas atraindo a atenção de outros médiuns, que entraram em contato com Kardec. O pai do espiritismo viu que seu trabalho ainda não estava terminado. Eram tantas novas revelações que ele decidiu revisar mais uma vez e estender o livro. A 2ª edição, definitiva, contém 1 019 perguntas.

 

 

Recapitulando:


O Livro dos Espíritos é o primeiro da série de cinco livros básicas da Codificação do Espiritismo (Pentateuco Kardequiano), ao lado de O Livro dos Médiuns, O Evangelho Segundo o Espiritismo, O Céu e o Inferno, e A Gênese.

O Livro dos Espíritos consta de uma Introdução (da lavra de Allan Kardec) e 1018 perguntas formuladas aos Espíritos, com as respectivas respostas. Ao final, temos a Conclusão, consistente de nove tópicos bastante desenvolvidos, de autoria do espírito que se autodenomina Santo Agostinho.

Após a vulgarização dos fenômenos de "mesas girantes" através de toda a Europa, por volta de 1854, Kardec foi convidado por amigos a presenciar o fenômeno, quando as "mesas" começaram a "responder a perguntas". Foi, então, o início da missão de Kardec como codificador. Indagado sobre a sua identidade, o "ser" inteligente que manipulava as mesas denominou-se como sendo "espíritos de luz", dizendo que era chegada a hora de fazer novas revelações à humanidade sofrida, dando continuidade aos ensinamentos de Jesus. E assim o fenômeno das mesas girantes deixou de ser brincadeira, e passou a ser levado muito a sério. As mesas foram substituídas por pranchetas e lápis, e a tiptologia deu lugar à nascente psicografia.

Tiptologia é um tipo de comunicação que utiliza um certo número de batidas, em correspondência às letras do alfabeto, mais ou menos como no código Morse. Psicografia é a escrita ditada por um espírito através de um médium. Difere da inspiração, porque nesta o médium está plenamente consciente e é co-autor do texto, enquanto a escrita psicografada é mais ou menos mecânica, às vezes abordando temas completamente desconhecidos do médium ou completamente acima do seu nível de escolaridade, ou, até mesmo, em idiomas desconhecidos do médium.

As respostas em O Livro dos Espíritos, sempre muito inteligentes, objetivas e intelectualizadas, abrangem temas os mais variados e ligados a questões transcendentais até então não satisfatoriamente respondidas.

» Primeira Parte: Deus; os Elementos Gerais do Universo; a Criação Divina; o Princípio Vital (temas posteriormente mais desenvolvidos em A Gênese).

» Segunda Parte: Dos Espíritos, sua origem, hierarquia, progressão, anjos e demônios; Da reencarnação dos Espíritos e da volta dos Espíritos à vida corporal, pluralidade das existências, vidas sucessivas, pluralidade dos mundos; Intervenção dos Espíritos no nosso mundo material e em nosso dia-a-dia; Bênçãos e Maldições; Ocupações e Missões dos Espíritos; Reinos Mineral, Vegetal e Animal; Metempsicose.

» Terceira Parte: Das Leis Morais; Da Lei Divina ou Natural; Da Lei de Adoração; Da Lei do Trabalho; Da Lei de Reprodução (celibato, poligamia, etc); Da Lei de Conservação: o Necessário e o Supérfluo, Privações Voluntárias e Mortificações (questionamento de sua validade); Da Lei de Destruição: Destruição Necessária e Destruição Abusiva, suas causas e conseqüências, Guerras, Flagelos Naturais, Crueldade, Duelo, Pena de Morte; Da Lei de Sociedade; Laços de Família, Vida de Insulamento; Da Lei do Progresso: Povos Degenerados, Influência do Espiritismo no Progresso da Humanidade; Da Lei de Igualdade: Igualdade Natural, Desigualdade de Aptidões, Desigualdade de Riquezas, Igualdade entre Homem e Mulher, Igualdade perante o Túmulo, Da Lei de Liberdade: Escravidão, Liberdade de Consciência, Livre-arbítrio, Fatalidade, Conhecimento do Futuro; Da Lei de Justiça, Amor e Caridade: Direito de Propriedade, Roubo, Caridade e Amor ao Próximo, Amor Materno e Filial; Da Perfeição Moral: As virtudes e os Vícios, Paixões e Apegos, o Egoísmo, Caracteres do Homem de Bem, o Conhecimento de Si Mesmo.

» Quarta Parte: Das Esperanças e Consolações: Penas e Gozos Terrenos, Penas e Gozos Futuros, Felicidade e Infelicidade Relativas, Perda dos Entes Queridos, Decepções, Ingratidões, Afeições Destruídas, Uniões Antipáticas, Temor da Morte, Desgosto na Vida, Suicídio, O Nada, a Vida Futura, Expiação e Arrependimento, Misericórdia e Justiça Divina nas Penas e Recompensas, Duração das Penas Futuras, Ressurreição da Carne, Paraíso, Inferno e Purgatório.

É, portanto, um livro de interesse para todas as pessoas de todas as religiões, pois contém uma abordagem científica de temas existenciais, dos mais simples aos mais complexos.

 

 

 

QUADRO RESUMIDO 

O Livro dos Espíritos

NOME ORIGINAL_Le Livre des Esprits (França, 1857)

AUTOR_ Hyppolyte Rivail (Allan Kardec)

EDIÇÃO NO BRASIL_ Pensamento; 1994

ÁREA_Religião

DO QUE TRATA:

O livro representa o marco inicial do espiritismo como doutrina religiosa e surgiu a partir da observação de fenômenos com mesas giratórias, na França. Essas experiências eram realizadas por médiuns em torno de uma mesa para estabelecer contato com supostos espíritos de pessoas mortas. O livro traz basicamente as perguntas feitas aos tais espíritos, assim como as respostas que teriam sido concedidas por eles, em mesas comandadas por 2 jovens médiuns. Os textos escritos por Rivail tratam de assuntos como reencarnação, Deus e a relação entre homem e Universo.

QUEM ESCREVEU:

Hyppolyte Leon Denizard Rivail nasceu em Lyon, França, em 1804, e dedicou grande parte de sua vida ao estudo de ciências e de filosofia. Somente após publicar O Livro dos Espíritos passou a adotar o codinome Allan Kardec, que teria sido uma de suas reencarnações passadas.

POR QUE MUDOU A HUMANIDADE:

É por meio de O Livro dos Espíritos que o espiritismo finalmente passa a ser levado a sério como crença religiosa, apresentando-se como uma alternativa para cristãos e estabelecendo diferenças em relação às doutrinas da Igreja Católica, como a crença na reencarnação.

 

 


Fontes Bibliográficas:

 

Blog do Livro dos Espíritos:
(tradução deJosé Herculano Pires)

 

Download do Livro dos Espíritos:
(PDF)

 

Visualização do Livro dos Espíritos:

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Comunicar-se bem é se fazer entendido

 

Para celebrar o Dia Internacional da Voz, comemorado hoje,  e o Dia Internacional de Combate ao Ruído, no dia 28 de abril, resolvi expor artigo encontrado no Jornal do Commercio aqui de Pernambuco. Por coincidência, havia dois deles bastante interessantes naquela Revista de Domingo, 04 de abril, sendo o último melhor para o segundo dia (internacional). Afinal, o título deste era “Um pouco de silêncio, por favor”. Falava mais do twitter e de uma autocrítica que a jornalista Flávia de Gusmão tinha em excesso e que a fazia indagar sobre quantos pensamentos realmente auspiciosos ela conseguia se lembrar ao longo do dia. A triste conclusão: poucos, verdadeiramente muito poucos. Daí a importância de um controle e de se ter autoridade sobre aquilo de que se deseja falar, antes de sair papagueando demais ou exortando os demais de todas as suas opiniões – como ocorre com muitos pseudo-intelectuais daquele microblog.

 

 KY - Voz

COMUNICAR-SE BEM É SE FAZER ENTENDIDO
Carmen Peixoto (*)


Já se deu comigo e acredito que com vocês também. Alguém explica um assunto, termina, sai e a gente fica sem entender. Nem sempre o que dizemos é o que as outras pessoas ouvem. A eficácia da nossa comunicação vai depender da clareza do que expressamos.

Lembro-me de uma história sobre um garoto que vivia com o pé esquerdo sujo. Quando na escola lhe perguntaram por que um pé estava sempre limpo e outro não, ele prontamente respondeu: “É que toda vez que vou tomar banho minha mãe diz: ‘Meu filho, lave o é direito…’”

A faixa etária, cultura e estilo de vida influem na percepção das pessoas. Portanto, é observar a forma de nos comunicarmos:
» As palavras que utilizamos
» A maneira como nos expressamos
» A forma como os outros percebem

Segundo pesquisas, ao nos comunicarmos com alguém, somos impactados 55% pela forma como nos vêem, 7% apenas naquilo que dizemos e 38% no modo como nos expressamos. Deduzimos então que o impacto visual traduzido no modo de cumprimentar, abordar, gesticular podem nos conduzir a um relacionamento positivo ou não.

 

POSTURA

A linguagem corporal, é claro, também se insere na comunicação como um todo. Por que não abrir-se ao diálogo se isso vai lhe aproximar do seu interlocutor? As pessoas fecham-se em si mesmas quando diante de alguém ficam com os braços cruzados ou postos para trás como as mãos entrelaçadas. Há também aqueles que buscam segurança pondo as mãos dentro do bolso.

Há mensagens corporais que por si só são extremamente negativas e desestimulam qualquer diálogo como corpo relaxado demais, mãos nos quadris, olhar distante, gestos exagerados, tiques nervosos…

 

A VOZ

A experiência demonstra que quando erguemos a voz, numa situação de irritação, as pessoas nos ouvem menos. Contrariamente, se baixarmos a voz, os outros vão nos ouvir mais. O emocional pode distorcer o som da fala. Imagine que as pessoas tendem a atribuir a cada um de nós determinadas características dependendo do som de sua voz. Se o primeiro contato for por telefone então, quem está do outro lado da linha fará logo uma imagem mental sua. O som agradável, nem tão baixo e nem tão alto, ouvido claramente, deixa ótima impressão. Para corrigir defeitos de voz, além de um bom fonoaudiólogo, recomendo ler textos e gravar, para depois ouvir. As primeiras vezes você vai achar estranho o som da sua voz, mas tenha em mente que é assim que os outros lhe ouvem.

 

 

(*) Carmen Peixoto é jornalista e escreve na coluna “Boas Maneiras”, pela Revista JC, em Pernambuco.

 

 

 


 

E, claro, devo manifestar aqui também uma pequena homenagem a todos aqueles que fazem da voz seu instrumento de trabalho e encantamento. Pois admiro a expressão artística de atores e cantores (veja vídeo abaixo), além do fato de saber que cerca de 70% da população economicamente ativa utiliza a voz como instrumento de trabalho, em especial professores, radialistas, atendentes de telemarketing, recepcionistas, jornalistas, políticos, entre tantos outros.

Por isso, recomendo muita prevenção, a fim de se evitar a perda da voz, em razão de uma rouquidão ou mesmo de uma doença mais grave, como o câncer de laringe. É preciso ler dicas de cuidados com a voz e usá-la de maneira sempre adequada!

 

 


Link Recomendado:

http://www.diamundialdavoz.com/ — Site educativo sobre o Dia Mundial da Voz (2010).

terça-feira, 13 de abril de 2010

As Várias Versões do Hino Nacional Brasileiro

 

Neste espaço, você encontrará quatro versões do Hino Nacional Brasileiro (certamente poderia-se criar bem mais). A primeira é a versão “cantada” por Vanusa, diga-se totalmente trágica. A segunda é a oficial, cujas especificações legais (*) você lerá ao final. A terceira traz o Hino com seus versos na ordem direta de sua estrutura sintática; e a quarta versão é uma adaptação livre, ou seja, uma versão simplificada, a fim de facilitar o entendimento de alunos, principalmente os do ensino fundamental.

Tudo em função de hoje ser o Dia do Hino Nacional. 1ª Execução do Hino Nacional Brasileiro - 1831.


 

O Hino Nacional Brasileiro possui várias versões. Uma delas bastante trágica, que ganhou muito destaque na internet, tendo sido cantada por Vanusa. Aconteceu no 1º Primeiro Encontro Estadual de Agentes Públicos, em março de 2009, O vídeo foi pro YouTube dia 19 de agosto e rapidamente caiu no gosto popular. Claro, devido a sua tamanha “graciosidade”. Por sinal, umas da maiores vergonhas alheias dos últimos tempos da web.


KY - Bandeira do Brasil (Circo)

Vanusa simplesmente inventou nova letra e ritmo para o Hino Nacional Brasileiro. Quem assiste a cena, se imagina diante de um picadeiro. É digna de um espetáculo de circo dos mais ridículos. Veja o vídeo:

 


Se quiser acompanhar, vai a letra da versão da Vanusa:

"Ouviram do Ipiranga as margens plácidas
De um novo heróico e brado retumbante
E o sol da liberdade em raios fúúúúúlgidos
Brilhou no céu da pátria nesse instante
Se o penhor dessa igualdade
Conseguimos conquistar com braços fortes
Em teu seio, ó liberdade
Desafio o nosso peito a própria morte
Ó, pátria amada, idolatrada, salve salve
Brasil, um sonho intenso, um raio vívido
De amor e de esperança, a terra desce
Se em teu formoso céu risonho e límpido
A imagem do Cruzeiro resplandece
Gigante pela própria natureeeeezaaaaa
És belo, és forte, és risonho... (pausa longa) límpido
Se em teu formoso, risonho e límpido,
A imaaaaaaaagem do Cruzeiro (pausa longa)
Gigante pela própria natureza
És belo, és forte, impávidooooo colosso
E o teu futuro espelha essa grandeza
Terra dourada
Entre outras mil, és tu Brasil, ó pátria amada
PALMAS
Déitado em bérço esplendido ao som do maaaaar e luz do céu profundo
Fúlguras, óóó Brasil florão da América
Iluminado ao sol do novo mundo
Que a terra mais garrida
Teus risonhos lindos copos tem mais flores
Nossos bosques tem mais vida
Nossa vida, maaaaais amores
ò pátria amaaaada, idolatraaaaada, salve, salve
(Agradecemos a presença da cantora Vanusa)
Brasil, de eterno... (desligam o microfone)"

 

 

 


Agora vamos às demais versões, para uma análise mais séria:


O Hino Nacional Brasileiro não só tem uma das melodias mais lindas do mundo, como também é possuidor de uma letra poética tão rebuscada e bonita que nos dá orgulho. Acontece que, para muitos, o Hino Nacional não empolga justo por ter uma letra complexa, exigindo esforço para ser entendida.

Pensando nisso, o jornalista Aldo Pereira escreveu um livro sobre o Hino Nacional (“O Hino Nacional Brasileiro”) onde propõe que sua letra seja lida na ordem direta para uma melhor compreensão. Ele fez, também, um glossário com as palavras menos conhecidas. Seguem os dois:



Hino Nacional na ordem direta

A versão original
(na “ordem indireta”)

Versão para compreensão
(em ordem direta)

I

(1) Ouviram do Ipiranga as margens plácidas De um povo heróico o brado retumbante, E o sol da Liberdade, em raios fúlgidos, Brilhou no céu da Pátria nesse instante.

(2) Se o penhor desta igualdade Conseguimos conquistar com braço forte, Em teu seio, ó Liberdade, Desafia o nosso peito a própria morte!

(3) Ó Pátria amada, Idolatrada, Salve! Salve!

(4) Brasil, um sonho intenso, um raio vívido De amor e de esperança à terra desce, Se em teu formoso céu, risonho e límpido, A imagem do Cruzeiro resplandece.

(5) Gigante pela própria natureza, És belo, és forte, impávido colosso, E o teu futuro espelha essa grandeza.

(6) Terra adorada, Entre outras mil, És tu, Brasil, Ó Pátria amada! Dos filhos deste solo és mãe gentil, Pátria amada, Brasil!

 

II

(7) Deitado eternamente em berço esplêndido, Ao som do mar e à luz do céu profundo, Fulguras, ó Brasil, florão da América, Iluminado ao sol do Novo Mundo!

(8) Do que a terra mais garrida Teus risonhos, lindos campos têm mais flores; "Nossos bosques têm mais vida,

"Nossa vida" no teu seio "mais amores".

(9) Ó Pátria amada...

(10) Brasil, de amor eterno seja símbolo O lábaro que ostentas estrelado, E diga o verde-louro dessa flâmula - Paz no futuro e glória no passado.

(11) Mas, se ergues da justiça a clava forte, Verás que um filho teu não foge à luta, Nem teme, quem te adora, a própria morte.

(12) Terra adorada...

I

(1) As margens plácidas do Ipiranga ouviram o brado retumbante de um povo heróico, e, nesse instante, o sol da Liberdade brilhou, em raios fúlgidos, no céu da Pátria.

(2) Se conseguimos conquistar com braço forte o penhor desta igualdade, em teu seio, ó Liberdade, o nosso peito desafia a própria morte!

(3) Ó Pátria amada, idolatrada, salve! salve!

(4) Brasil, se a imagem do Cruzeiro resplandece em teu céu formoso, risonho e límpido, um sonho intenso, um raio vívido de amor e de esperança desce à terra.

(5) És belo, és forte, impávido colosso, gigante pela própria natureza, e o teu futuro espelha essa grandeza.

(6) Ó Pátria amada, Brasil, [apenas] tu, entre outras mil [terras], és terra adorada!

Pátria amada, Brasil, és mãe gentil dos filhos deste solo!

II

(7) Ó Brasil, florão da América, deitado eternamente em berço esplêndido, ao som do mar e à luz do céu profundo, fulguras iluminado ao sol do Novo Mundo!

(8) Teus campos lindos, risonhos, têm mais flores do que a terra mais garrida; [e assim como] "nossos bosques têm mais vida," [também] "nossa vida" no teu seio [tem] "mais amores".

(9) Ó Pátria amada...

(10) Brasil, o lábaro estrelado que ostentas seja símbolo de amor eterno, e o verde-louro dessa flâmula diga: - Paz no futuro e glória no passado.

(11) Mas, se ergues a clava forte da justiça, verás que um filho teu não foge à luta, quem te adora não teme nem a própria morte.

(12) Terra adorada...



Glossário

  • Margens plácidas - "Plácida" significa serena, calma. Esse é o tom desses versos. Ao contrário do hino de outras nações, o nosso não fala em guerras
  • Ipiranga - É o riacho junto ao qual D. Pedro I teria proclamado a independência. O Ipiranga nasce junto ao zoológico da cidade de São Paulo
  • Brado retumbante - Grito forte, que provoca eco
  • Penhor - Usado de maneira figurada, "penhor desta igualdade" é a garantia, a segurança de que haverá liberdade
  • Imagem do Cruzeiro resplandece - O "Cruzeiro" é a constelação do Cruzeiro do Sul, que brilha, ou resplandece, no céu
  • Impávido colosso - "Colosso" é o nome de uma estátua de enormes dimensões. Estar "impávido" é estar tranqüilo, calmo
  • Mãe gentil - A "mãe gentil" é a pátria. Um país que ama e defende seus "filhos", os brasileiros, como qualquer mãe
  • Florão - "Florão" é um ornato em forma de flor usado nas abóbadas de construções grandiosas. O Brasil seria o ponto mais importante e vistoso da América
  • Garrida - Enfeitada, que chama a atenção pela beleza
  • Lábaro - "Lábaro" era um antigo estandarte usado pelos romanos. Aqui é sinônimo de bandeira
  • Clava forte - Clava é um grande porrete, usado no combate corpo-a-corpo. No verso, significa mobilizar um exército, entrar em guerra

 

 


Todavia, há um vídeo muito bom, que pesquei no Youtube. Este sim foi feito de forma bastante apessoada! No estilo próprio dos jovens, haja vista que hoje é o Dia dos Jovens, ele não podia ficar de fora deste meu comentário.

Sabe, o vídeo que mostrei anteriormente não permitia a incorporação, o Youtube simplemente teve de bloquear mediante uma solicitação. Eu já imaginava isso, por conta do vexame que foi. Mas dei o meu jeitinho, como todo brasileiro!

Mas não vamos ficar falando de algo tão feio. O estrago já foi efetuado. Vamos ver a versão “jovial” do hino:

 

 

 

Por fim, o Hino Nacional Brasileiro com adaptação livre - versão que havia prometido logo no início deste artigo:

 

Versão (simplificada)

I

Nas margens tranqüilas do riacho Ipiranga se ouviu
Um grito muito forte de um povo heróico ,
E, nesse instante,
O sol da liberdade brilhou no céu do Brasil,
Com seus raios muito cintilantes.

Nós conseguimos conquistar, com muitas lutas,
A garantia de sermos iguais aos outros.
Ó Liberdade,
Desafiamos a própria morte
Quando estamos junto a ti.

Viva! Viva!
País amado e adorado.

Brasil, um sonho forte, como um raio muito luminoso,
De amor e de esperança desce à terra,
Se a imagem das estrelas do Cruzeiro do Sul,
Brilha em teu céu bonito, risonho e claro.

Pela sua própria natureza és um gigante,
Gigante corajoso, és belo, és forte,
E o teu futuro vai ser grande como tu.

Brasil , Pátria querida,
Entre tantas outras nações,
Tu és a mais adorada.

Brasil, Pátria amada,
És a mãe querida dos filhos
Que nasceram aqui!

II

Localizado para sempre em terras magníficas,
Banhado por um oceano e pela luz de um céu imenso,
Brilhas, Brasil, jóia das Américas,
Iluminado com o sol deste Continente.

Teus campos, risonhos e lindos,
Têm mais flores do que a terra mais enfeitada.
Nossas florestas têm mais vida.
Nossa vida mais amores,
Quando estamos junto de ti.

Viva! Viva!
País amado e adorado.

Brasil, que a tua bandeira estrelada
Seja um símbolo de amor eterno!
E que o verde-amarelo desta bandeira diga:
"Nós temos glórias no passado e no futuro teremos paz".

Mas se levantares a arma forte da justiça,
Verás que um brasileiro não foge de uma luta!
E quem te adora não tem medo nem da morte.

Brasil , Pátria querida,
Entre tantas outras nações,
Tu és a mais adorada.

Brasil, Pátria amada,
És a mãe querida dos filhos
Que nasceram aqui!

 

 

 

__________
(*) Lei n. 5.700 - de 1º de setembro de 1971

Art. 6º: O Hino Nacional é composto da música de Francisco Manoel da Silva e do poema de Joaquim Osório Duque Estrada, de acordo com o que dispõem os Decretos n. 171, de 20 de janeiro de 1890, e n. 15.671, de 6 de setembro de 1922, conforme consta dos Anexos ns. 3, 4, 5, 6 e 7.

Parágrafo único. A marcha batida, de autoria do mestre de música Antão Fernandes, integrará as instrumentações de orquestra e banda, nos casos de execução do Hino Nacional, mencionados no inciso I do artigo 25 desta Lei, devendo ser mantida e adotada a adaptação vocal, em fá maior, do maestro Alberto Nepomuceno.

PDF para Download - Legislação sobre o Hino Nacional.

 


 

 

Fazer Jus à Juventude

 

Dia dos Jovens: 13 de abril.


“A juventude é uma fase de experimentação em que valores e convenções estão em jogo. Todo jovem tem o ideal da autonomia, ou seja, ser reconhecido como alguém cuja voz e opinião podem, definitivamente, ajudar a mudar o estado das coisas.”

 

KY - Abraço do Sol 

 

FAZER JUS À JUVENTUDE
Thúlio Jardim, 30/03/2010



Agora, vou fazer jus à juventude: cantarei a exaltante alegria da minha puberdade! Quando, na janela do quarto, abraça-me um sol exultante. Exatamente como queria, para este dia, nada dará errado!

Pois o que eu mais planejei, plainou em mim ontem. O que eu mais cobicei chegou nesta noite que passou voando, e não dormi, nem foi sonho. Veio com um rol de planos para nós e, debaixo dos panos, deu-me as lições que se vós lêsseis jamais olvidariam…

Em uma lançada, levantou ao último lanço a minha lança. Que espetáculo! Quanta atração… Eu que antes me sentia uma criança, acolchoei-me com muita confiança. Nunca um adulto fez igual, nem melhor serenata ouviram. Cá, eu perpetrei uma ação nela de longa duração… Qual um selvagem senhor, gemia, sem distração. Para mim, era a melodia mais linda; para ela, uma determinação.

Atuei sem ter nenhuma alegação para minha defesa. Ela me acusou de crime de amor, de sedutor. Então, celebrei um acordo, em plantão pré-nupcial. E a única coisa que pedi dela, e sedento, foi o amor!

 


Artigos Recomendados:

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Aqui Jaz a Juventude

 

KY - Espelho da Juventude Quebrado

 

AQUI JAZ A JUVENTUDE
Thúlio Jardim. Escrito em 08/04/2010.



Nem sempre tudo é perfeito. Se ontem estava alegre, eis o hoje… e me entristeço. Vejo ao lado um jovem acanhado, identifica-me meu próprio espelho. Enquanto, naquele lugar, ao alcance do luar, muito choro! Porque não tem jeito.

Vou pro meu leito, ainda novo. Sou púbere de corpo, mas não de mente. Velhice chegou tão de repente. E eu, aos poucos, tombo doente.

Nessa data - esta ingrata - em que aqui jaz a juventude. Tocou-se uma canção lúgubre, que eu adoesto.

 

 

 

KY - Espelho da Mulher Quebrado

“Qualquer idiota consegue ser jovem. É preciso muito talento para envelhecer.”

Millôr Fernandes

domingo, 4 de abril de 2010

Especial podia ser todo dia

 

KY - Significado da Páscoa

 

Se, para as crianças, o feriadão significa chocolate, para católicos, protestantes e judeus, o Domingo de Páscoa é um momento de reflexão. Nas Igrejas católica e protestante o dia marca a ressurreição de Jesus. Os judeus, que não acreditam em Cristo como o Messias, usam a data para recordar a libertação do povo hebreu após anos de escravidão no Egito. Esse episódio também é lembrado pelos protestantes. Hoje é, para todas essas religiões, um momento de reavaliação espiritual e celebração em família. Por isso, muitas famílias estão reunidas em torno de uma mesa farta para um dos principais ensinamentos do cristianismo: dividir o pão e cultivar a família.

Então, não foi à toa que Jesus juntou os apóstolos na Santa Ceia para compartilhar a última refeição antes de sua morte e ressurreição. A força da liturgia que se deu naquela noite atravessou séculos e permanece como símbolo supremo de fé, confiança e união. Se a Páscoa serve para lembrar da importância de aliar alimentação e encontro, sabores e afeto, esse é um hábito que não deve se restringir a épocas especiais do ano. Especial pode ser todo dia em que parentes se sentam à mesa para comer e, principalmente, trocar. Carinho, amor, segurança.

Diante de agendas superlotadas, a falta de tempo para fazer refeições em família revela a falta de muito mais: de convivência e, arriscaria dizer, de humanidade. Congregar pessoas queridas na hora do café, almoço ou jantar é “absolutamente estruturador”, mostra a reportagem de capa da edição de hoje da Revista JC(*), assinada por bruna Cabral. Psicólogos dizem até que a ausência de rituais domésticos tão importantes contribuem para distúrbios alimentares cada vez mais comuns em crianças e adolescentes. Sem falar em outros graves problemas de saúde pública, como o avanço das drogas e até de males como a depressão e a síndrome do pânico.

“Para refazer laços partidos ou fortalecer os que se mantêm, nada melhor que um Domingo de Páscoa”, diz Mona Lisa Dourado – editora-assistente daquela suplemento do Jornal do Commercio. “É absolutamente estruturador para as pessoas que se amam sentarem juntas (…) para se olhar nos olhos, conversar. Até pelo simbolismo religioso, a mesa facilita esses encontros, estreita os laços”, acrescenta o terapeuta de crianças e adolescentes, Carlos Brito.

Vale lembrar que, para a Cultura Judaica, o Domingo de Ramos abre a Semana Santa e é o dia mais importante. Quando, após o culto, as famílias lêem o livro que relata a história da fuga do Egito.

Mas… especial mesmo, para mim, é todo e qualquer dia.

 

 

 

Thúlio Jardim. Recife, 04 de abril de 2010.

 

 

 

 

 

(*) JC – Jornal do commercio. Considerado, atualmente, o maior jornal do Norte e Nordeste. Contabilizador de conquistas como os prêmios nacionais e internacionais e certificações que ratificam o profissionalismo e a qualidade do produto que chega até os leitores. A Revista JC é um dos seus Suplementos, e está entre os mais visados pelo público.

Mais informações, visite JC ON-LINE.

 

 

 



Vídeo e Música:

Ele Ressuscitou – Letra cantada pelo ex-vocalista da banda Oficina G3, Pedro Geraldo Mazza. Também conhecido como PG.



Leituras Recomendadas:

O Ressuscitado (por Dom Dadeus Grings) – Jornal do Comercio do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Catedral Diocesana de Campina Grande/PB: Ele Ressuscitou! (Dom Genival Saraiva) (*) – Dom Genival Saraiva é Bispo de Palmares, Pernambuco. Contudo, o texto deste link, de acordo com publicação feita no JC, é de autoria do arcebispo de Olinda e Recife – Dom Fernando Saburido.

 

__________
(*) NOTA DE ESCLARECIMENTO, 11 DE ABRIL DE 2010: O texto acima foi publicado outra vez, pelo Jornal do Commercio, no Domingo seguinte (hoje, dia 11) ao da primeira publicação (em 04 de abril). Desta vez, os créditos do texto acima estão no nome do Bispo de Palmares, Dom Genival Saraiva. Mas não houve qualquer referência ao erro cometido.

Um trecho do texto, de Dom Genival Saiva:

“[…] Vida, paixão e morte são elementos constitutivos da condição humana que, no entanto, podem ter níveis de menor ou maior qualidade, segundo a atenção que a família e a sociedade dispensam às pessoas, de acordo com o contexto histórico e a realidade local. Nesse sentido, o passado e o presente do ser humano têm muito a ver com o seu futuro. Hoje, a pesquisa na área das ciências da saúde alcança resultados extremamente promissores, na perspectiva de uma melhor qualidade de vida das pessoas. A medicina moderna realiza intervenções com alto nível de êxito, em casos muito complexos. A cura de doenças graves é um verdadeiro prodígio da ciência humana. Tudo isso faz parte das conquistas do conhecimento humano, acumulado ao longo da história da ciência médica, e do avanço das políticas públicas no campo da saúde coletiva. A eliminação das causas de doenças corriqueiras e graves, muito comuns no passado, tem como efeito uma maior longevidade da população. Todavia, as conquistas da ciência e tecnologia médicas e o poder do dinheiro esbarram ante a inevitabilidade da morte. Por melhor que a qualidade de vida e por mais que seja prolongada sobre a terra, dá-se a morte da pessoa humana, num determinado momento. [….]”

A Páscoa, O Natal e O Consumismo

 

KY - Carro de Presente

“Se quando Jesus nasce, eu ganho chocolate. E quando ele morre, eu ganho presentes… Quando ele voltar, eu posso ganhar um carro?”

 

 

Low. Recife, 04 de abril de 2010.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails
Google Analytics Alternative