domingo, 14 de março de 2010

Vagina, para que te quero?

 

KY - Vagina-Flor

 

Há quem faça até poesia [inclusive, yo] e contemple de forma bastante familiar este CANAL ENFADONHO. Igualmente, para as suas circunvizinhanças “obscuras” e lisérgicas, são feitas músicas inspiradoras. Não que seja tedioso, difícil, ou provoque-me nojo ou cegueira falar desse assunto. Pelo contrário, eu arguto admiro e exponhá-lo-ei! Por elas, fico estupefacto (neste contexto, chega a ser eufemismo de boquiaberto) e jamais tenho ojeriza. Afinal, não sou nada misógino! Pois vejo a subtileza da vagina que me embaraça tanto, mas me deixa ser presa… tão docilmente.

E que as mulheres são insidiosas, nós homens nenhum pouco inocentes – sabemos disso. Aprendemos a priori. Para ser franco, percebemos facilmente ao redor se uma mulher casada está preparada para nos infligir um bote, e se este foi grilheta e, de maneira contingente, se proveio da falta de atenção do seu parceiro. Analisamos a fundo! Para o caso de querermos nos tornar o seu novo provedor de prazer… Fazendo-nos ser a procela de um incêndio, enquanto ela se encarregaria de trazer o nosso gazebo e acender a cancela.


KY - Cucú “11% das brasileiras já ciscaram em outras freguesias. É mole? Bem…” (¹)


“Fizemo-nos ser traídos por algum motivo?”, é o questionamento dos atraiçoados quando tudo acontece. Mas também… quem nunca traiu? Ou pensou um dia? Por vileza, travessura… não importa o nome, todos, homens ou mulheres, correm sérios riscos de ser surpreendidos. Neste caso, tanto sofrendo pela traição, como sendo apanhados em flagrante delito. No entanto, não é uma generalização nem uma confissão minha de adultério. Tampouco sou matrimoniado. Além do mais, sempre me pergunto se isso procede, se é assim mesmo. Não tenho título de perito na arte do amor e, muito menos, da safadeza. Esteja claro!

Só que quanto mais me atento aos detalhes e perfeccionismos das fêmeas - até mesmo o da felonia -, mais me encanta a grande preocupação que as mulheres têm em relação às suas vaginas. Elas se preocupam com o formato, com o tamanho, com a aparência, com o cheiro, com a profundidade. Exatamente como nós fazemos com nossos instrumentos de guerra, desejando que estes revólveres sempre fiquem em ponto-de-bala, quando estimulados. “Entre e fique à vontade”, é o que precisamos ouvir, literalmente! Só não devemos ficar à vontade demais, para não acabar antes do tempo [risos].

Nos deixamos a mercê do deleite, totalmente esperançosos pela atitude antropofágica da vulva. Tem quem diga que esta seja a própria tampa da boceta de Pandora. Só que, no caso nosso, de seres másculos interessados em abri-la, o que viria dela seriam somente coisas boas! Totalmente o oposto da mitológica historieta.

Enfim, digamos que “as mulheres são tinhosas, um pouco egocêntricas e querem as coisas exatamente como querem as coisas – simples assim”. Não fui eu quem disse, mas uma mulher mesmo! A Carol Toledo, que escreve mensalmente para a Revista MEN’S HEALTH - coluna Pergunte à vizinha, na edição do corrente mês.

Os homens, contudo, muitas vezes não entendem esse jeito “simples” e não sabem como agir diante delas ou como satisfazer as suas vontades “ocultas” ou abstrusas. Não é nadinha fácil! Não saber quando devemos ser agressivos e diretos, e quando precisamos procrastinar nossa ânsia, sendo mais inermes e dotados de sensibilidade, realmente provoca o nosso nervosismo. O pior é que ser direto e agressivo não significa invasivo, e ser dotado de sensibilidade e inerme não torna uma relação amorosa diuturna. São muitos os obstáculos e a oscilação (²) da mulher é constante (não é trocadilho)! E aí paira a dúvida:

Vagina, para que te quero?

 

Low. Recife, 14 de março de 2010.



__________
(¹) Trecho extraído de “Ela vai te TRAIR?” - reportagem da Revista MEN’S HEALTH de março, por Sofia Solves e Jon Axeworthy.

(²) O FATOR DOS ÓVULOS – Antes considerado a razão da loucura esporádica feminina, o ciclo menstrual pode também ser responsável pela pulada de cerca de mulheres. De acordo com o Instituto Kinsey, da Universidade de Indiana (EUA), as oscilações mensais de sua parceira desencadeiam um instinto evolutivo que aumenta o desejo, com foco em parceiros sexuais de curto prazo. A pesquisa descobriu que as mulheres estavam mais a perigo entre o décimo e o 18º dia do ciclo, quando os níveis de estradiol, o hormônio do sexo, estavam mais altos. “O estradiol prepara a mulher para o ato sexual e a torna mais atraente ao homem”, explica a ginecologista Elisabete Dobao, do Rio de Janeiro. “Mas a mulher considera vários outros fatores antes de tomar a decisão e, se ela tiver um parceiro, provavelmente ele será escolhido para o sexo.” Portanto, use esse excesso de libido a seu favor e seduza-a.


 

 

4 comentários :

Anônimo disse...

Realmente concordo em tudo o que falasse a respeito do genital feminino, Thúlio, embora a maioria das coisas eu má entenda. Ele ao mesmo tempo que nos fascina(nos deixa um tanto excitados e estimulados ao prazer sexual), também nos trazem muitas interrogações(com relação à sua higiene, risco de doenças e ao fato dele ser o canal para retirada dos filhos).
Seria o "Black Hole", ou em bom e velho português, o Buraco Negro do corpo feminino.

Excelente artigo Thúlio!

Low disse...

OK, colega. Grato pelo comentário! Apenas abro uma ressalva: lembre-se de mencionar o seu nome, antes de redigir o alguma coisa selecionando a opção "Anônimo". É legal [não obrigatório, por enquanto...] começar, por exemplo, com "Oi, meu nome é fulano(a)...", assim poderei lhe responder diretamente e mais pessoalmente. E não cometer erros de gênero/sexo.

No entanto, como sei que o conteúdo desta postagem pode ser visto como "picante", entendo quando alguém não queira se expor, principalmente se disser "[...] maioria das coisas eu 'má entenda' ". Com este comentário seu, pressuponho que você seja do sexo feminino, não é? Embora saiba perfeitamente que esteja escrito errado, já que "má" era para ser "mal", haja vista ser (neste caso) um advérbio. Acho que "forçasse" a escrita para "afeminá-la", caso você realmente seja uma mulher... Nada de demais o erro, e minha explicação faço só porque gosto de transmitir conhecimento.

Então, resumindo, é isso: se optar por "Anônimo", escreva logo no início, preferencialmente, o seu nome. Assim ficará melhor para mim!

Abração!


PS - Não ligue para minha escrita/correção, é que eu sou assim mesmo.

Anônimo disse...

Que isso Thúlio, até gosto quando me corriges isso é uma forma de aprendizado. Espero que tenhas gostado da minha postagem, eu não quis me idenificar, mas sabes quem sou.

Abração!

PS. Belo visual do seu Blog, sempre caprichando e melhorando.

Thúlio Jardim disse...

Ô... é que quem te respondeu foi Low e não eu, meu caro. Mais é claro que sei quem você é, pô! E entendo que você não tenha se identificado, muito embora eu frise que comentários anônimos poderão ser apagados, sem maiores esclarecimentos. Mas, obviamente, só o faço nos comentários maldosos ou que não respeitem a meus critérios (implícitos) ou regras explicitadas.

Valeu pelo elogio ao visual do blog! Por isso, volte logo. No anonimato ou não, pois sei que você sempre escreve coisas boas e bem apropriadas. :)

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails
Google Analytics Alternative