sexta-feira, 12 de março de 2010

Incesto

 

KY - Minha Amante Ela é minha mãe biológica e faz aniversário hoje, 12 de março de 2010. Apesar disso, só vim a conhecê-la no ano de 2000, quando comecei a freqüentar aulas pelo ensino médio (na época, ainda chamado de 2º grau). A irmã dela - que é minha amante [imagem ao lado] - também apaga suas velinhas nesta data, sendo dois anos mais velha que aquela, e tendo sido apresentada a mim num carnaval durante o mesmo ano de 2000. Falo aqui de um incesto, que não repreendo nenhum pouco, e espero que vocês compreendam e respeitem este meu caso, já que é duradouro…

Na verdade, isto que vos falei é a forma deu manter aqui a promessa que fiz de, nesta semana inteira, homenagear “apenas” as mulheres, estendendo a data referente ao Dia Internacional da Mulher e instituindo a semana da mulher! Não sei se vocês notaram, mas estas duas mulheres acima referidas não são comuns, isto é, não são de carne e osso. São de terra e concreto, ladeiras e prédios. Como? Não entenderam?! Então, também não sabem o que é uma prosopopéia? Não estão percebendo, ainda, que aqui estou a discorrer das cidades-irmãs pernambucanas Recife (a minha cidade natal) e Olinda (o meu amor)??? Neste dia, por convenção, a primeira completa 473 anos; a segunda, 475.

Nas duas cidades a data será lembrada com uma série de eventos: shows, atividades esportivas, desfiles de escolas de samba e clubes carnavalescos, corte de bolo e o tradicional “Parabéns para você”. Muita gente, porém, acha estranho como duas cidades independentes façam aniversário no mesmo dia, com exatos dois anos de diferença. Como é possível?

Segundo o historiador Leonardo Dantas Silva, a data de 12 de março é uma convenção, baseada no mais antigo documento histórico que menciona a existência de Recife e Olinda. Não se sabe o tempo da fundação de Olinda, dest’arte; sabe-se que o povoado prosperou tanto, que em 1537 já estava elevado à categoria de vila. Em 12 de março de 1537, Duarte Coelho enviou ao rei de Portugal, D.João III, o Foral - carta de doação que descrevia todos os lugares e benfeitorias existentes na Vila de Olinda. Nas praias, a vila foi fortificada para a defesa e do alto das colinas se expandiu em direção ao mar, ao porto e ao interior onde ficavam os engenhos de açúcar.

A questão da fundação do Recife, aleatoriamente atrelada à fundação de Olinda por força do chamado foral do donatário Duarte Coelho, datado de 12 de março de 1537 como dito, comprova que a História está cheia de equívocos e distorções, “carapetões” na linguagem de Oliveira Lima, adredemente “plantados” para confundir a realidade histórica.

O fato de ser mencionada no referido documento “a ribeira do mar dos arrecifes dos navios”, a restinga de terra à beira-mar naturalmente adequada para servir de porto seguro à navegação entre a capitania e a metrópole, nada tem a ver com a fundação do Recife propriamente dita. Trata-se, é claro, de simples menção de um relevo do solo como tantos outros existentes à época da fundação de Olinda que, segundo pesquisadores, deu-se dois anos antes, em 1535.

Como os historiadores são unânimes em considerar que Olinda nasceu antes, decidiu-se, por consenso, atribuir a Olinda a mesma data de aniversário, com dois anos de antecedência. A verdade é que as duas cidades já existiam antes dos respectivos aniversários.

Ah…
E morar em duas cidades litorâneas como estas, de belezas naturais e contrastes sociais marcantes, é bastante encantador. Têm praias abundantes, cultura em ebulição, povo cordial e história, muita história! As duas aniversariantes do dia são repletas de atrativos realmente, muitas paisagens coloridas e muitos sabores que mexem com a mente de turistas e dos moradores também.

OLINDA foi no passado a principal cidade de Pernambuco, ainda no período das capitanias  hereditárias, perdendo este status para Recife. Hoje, apesar de ter perdido o brilho econômico, Olinda é famosa mundialmente pelo seu carnaval, por suas ladeiras históricas, casarões e igrejas. Não é a toa que a cidade foi declarada pela Unesco como Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade. Vale-se ressaltar que os blocos carnavalescos originaram-se dos presépios, pastoris e ranchos de reis e tinham o intuito de dar oportunidade às mulheres de participarem do carnaval de rua.

O sentimento por Olinda é revelado de muitas formas, é inconfundível. "Na verdade, a imagem da cidade é inspiração para todo tipo de artista, desde o escultor, o pintor, o artista plástico de modo geral", afirma o artesão Ademir Sá. “Com certeza, Olinda está no coração”.

Do coração direto para um pedaço da casca de madeira de cajá, no qual é retratado o mar, o farol, o colorido do casario, o homem da meia-noite que interrompe a paz das igrejas seculares. A turista Elisângela Vieira não deixou a lembrança passar. “Eu vou levar pra casa, para o lugar tão longe onde moro, no Rio Grande do Sul”, conta. “Em um pedacinho de madeira, fica uma lembrança para a vida inteira de tudo o que a gente viu aqui”, acrescenta.

A paixão pela cidade costuma ser assim: imediata, à primeira vista. Mas o amor é diferente. Surge devagar, com a convivência. Talhado pela paciência de quem aprende a descobrir o outro, como o artista plástico Manu de Olinda. “Eu que nasci e fui criado em Olinda já conheço todos os pontos da cidade, então é fácil memorizar e fazer peças retratando”, diz.

Peças que traduzem a alegria, a riqueza, a religiosidade e o colorido de um lugar que parece uma obra de arte - impossível resistir. “Não tenho pretensão de sair da minha cidade, gosto demais, cada dia me inspiro mais aqui”, garante o artista plástico Lula de Andrade. E faz o desejo: “Feliz aniversário, Olinda!”.

RECIFE, por sua vez, é atualmente a principal cidade do estado de Pernambuco. A “Veneza Brasileira, Cidade Maurícia, Capital do Nordeste” conta com sua pujança baseada especialmente em serviços, tal que oferece ampla variedade de shoppings, universidades e prédios históricos, com destaque para o bairro do Recife Antigo. É uma cidade de grande concentração populacional, onde predominam bairros e comunidades populares. É um local referência no nordeste em diversos setores como saúde, comércio e tecnologia da informação.

Recife mexe com a imaginação dos visitantes e, principalmente, de quem mora aqui. Gente que consegue apreciar todo o sabor da capital pernambucana. A urbe tem gosto de quê…? De camarão? Do caldinho, dos bares e das rodas de amigos? A cor, o cheiro, tomando conta dos mercados de São José, de Casa Amarela e da Madalena? Os coqueiros, o sol, o mar, as praias do recife! As padarias onde o dia começa para milhares de recifenses.

O gosto doce das celebrações e datas importantes. O Recife do Galo da Madrugada, dos festejos juninos, do ciclo natalino, das ruas lotadas durante as festas da padroeira e do Morro da Conceição, do aniversário de 473 anos. E aniversário traz gosto de bolo. Não qualquer um, porque também não pode ser achado em qualquer lugar: o bolo de rolo. “Ele é tradicional em Pernambuco e com certeza vai representar muito bem o aniversário do Recife”, garante a balconista Chimenes da Silveira.


Clique para ampliar
R
E
C
I
F
E
N
S
E
O
L
I
N
D
E
N
S
E

Apesar dos problemas inerentes a quaisquer cidades grandes, Recife e Olinda possuem um charme característico de cidades históricas. “O presente que não esquece o passado”, as tradições e as raízes culturais lembram isso. E, neste 12 de março, nem preciso dizer que a minha saudação especial, de coração e com muito prazer, vai para estas duas coisinhas lindas!

 

Thúlio Jardim. Recife, 12 de Março de 2010.

 

 

 


Para saber mais:

Hora do Brasil: Aniversário do Recife e Olinda 
UOL, JC: História do Recife e Hino da Cidade (2007) 
UOL, JC: História de Olinda e Hino da Cidade (2007)



Vídeos legais:

Homenagem da Globo aos 472 anos de Recife (2009)
(Voltei, Recife. Com Vítor Araújo, no piano)

Homenagem da Globo aos 474 anos de Olinda (2009)
(Hino do Helefante. Com Vinícius Sarmento, no violão)



Poesia:

 Salto 15 Vermelho: Recife e Olinda - Uma para a outra e as duas para o mundo! | Por Diva Lali. Jornalista, nascida no Recife, enamorada por Olinda e apaixonada por toda a história que envolve a cultura do povo nordestino.



Programação para hoje:

A programação começou logo cedo e se estenderá até a madrugada, com os shows de diversos artistas, no palco armado em frente à Prefeitura de Olina e no Marco zero (Recife Antigo). Clique aqui e confira a programação.

Veja  mais à respeito: 

2 comentários :

Diva Lali disse...

Olá, Thúlio!
Obrigada por linkar no Salto15. Respondi o teu comentário, mas tbm passei aqui para conferir o teu blog. Muito legal, parabéns!!!

Então, repetindo de novo e novamente, a poesia é de minha autoria. O pseudônimo é estranho, mas já tem história, um dia te conto...rs. Caso deseje acrescentar, é só colocar Diva Lali. Obrigada por observar, pois já acrescentei a informação.

Gracias pela visita e volte sempre.

Bjo grande e abraço na alma.

PS: Copiado e colado c sucesso...rs
Bjão dois

Thúlio Jardim disse...

OK. Muito grato!

Um dia te conto também a minha. Acho até que nem é preciso, pois já o faço neste blog, pouco a pouco.

Tenho alguns pseudônimos, mas não os menciono muito. No meu perfil do Google há eles e alguns dos meus "apelidos".

Beijão!
Até em breve!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails
Google Analytics Alternative