quinta-feira, 11 de março de 2010

Doido de Amor

 

Este é o 3º artigo em homenagem à

Semana da Mulher,

quando me desvio um pouco do foco deste blog, expondo poesias com temas voltados em mulheres ou baseadas em questões de amor ou de apego por elas, prosas poéticas ou textos afins. É um desvio irrisório e, dependendo do uso das palavras, bastante merecido! É o que eu tento… nem sempre acerto… Mas não desisto.

Vamos lá, então:

 

KY - Doido de Amor 

(*) DOIDO DE AMOR
Thúlio Jardim, 07/09/2007.

Eu sou doido
Doido eu…
Não deixo de ser
As mulheres me encantam
Me fazem de bobo
Eu fico louco
E não é pouco
Sou muito louco
Louco não deixo de ser
Atiro pra tudo que é canto
Canto qualquer uma que vejo passar
Mas a minha mira é muito ruim
Todos os tiros se perdem no ar
Meu Deus, por que me abandonastes?!
Isto foi tiro pela culatra
Meu Pai, meu coração não agüenta mais
Acho que vou é morrer
Não vai, oh meu Pai,
Não me deixe
Tanto sofrer…
Meu Pai, pelo amor de deus,
Deixe para mim só amor
Eu já não agüento, pois,
Tanta dor…
Me traz, por favor, alguém
Que me complete
Não me traz alguém que
Me trate como chiclete
Que me mastiga e me cuspa
Me pisa ou me chuta
Me traz alguém…
Que me trate bem
Que não me maltrate
Que me tire deste martírio
Que me dê um trato
Que me faça um agrado
Que seja louca, uma mulher…
Muito louca, totalmente louca
Toda doida, completamente doida

Maluca por mim!

_________________________________________

(*) Faço dedicatória deste poema ao meu amigo Geraldo.

 

Aproveitem e escutem essa música a seguir. Ela combina, mas nem tanto…, com o que escrevi até aqui:


Notem que, quando o vídeo está nos seus 3:26, aparece a palavra “GOTHIKA”. Parece mensagem subliminar, mas esta é uma propaganda bastante direta do Filme de terror/mistério de mesmo nome. Cuja sinopse e trailer vocês podem ver aqui. A versão em espanhol do trailer é boa e também muito bem-vinda, eu recomendo!

 

KY - Olhos Azuis

Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails
Google Analytics Alternative