quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Tempocídio

 

KY - Big Bosta Brazil.

 

Cortando todas as minhas chances de participar do Big Brother Brasil 2011 [risos…], escrevo este artigo. Tal programa já é um clássico dentre os da linha reality show o que inclui “A Casa dos Artistas”, “A Fazenda” e “Solitários” – e não se caracteriza exatamente por ter em seus elencos e repertórios pessoas que se destacam por suas performances intelectuais e temas elevados e enriquecedores para os telespectadores.

KY - BBB. Charge Noticia Ruim.Porém, fazendo um desserviço a minha intelectualidade, indo de encontro a minha vontade, tive o desprazer de acompanhar o programa da atual edição do BBB – acreditem, a décima! A ironia e a sátira contidas no apresentador e jornalista Pedro Bial irritam as sensibilidades de qualquer um em pleno gozo de suas faculdades mentais, pois ao assistirmos este, no meu caso aleatoriamente…, comprovamos que ele usufrui de uma cultura que adquiriu só para si.

Tinha jurado para mim mesmo e até para minha mãe que neste ano de 2010 não iria perder o meu tempo comentado absolutamente nada sobre programinhas de péssimo gosto que infestam as tevês no Brasil, aliás, lá fora essas “porcarias” fazem tanto sucesso quanto aqui. Mas os acontecimentos pesam mais do que a força das minhas promessas. Abordar esse assunto aqui no KY pode ser um tempocídio para mim, ultrajante e degradante para muitos, mas vou correr esse risco ainda assim.

Contudo, também não quero ficar aqui nesta horrível mania de dizer mal de tudo e de todos, pois não tolero mais críticas sem sentido e maledicências, as más línguas e o cinismo crônico. Irrita-me muito o habitual de dizer mal pelo prazer de estar do contra. Tão nacional e tão parcial quanto burro. Detesto essa rede de censores encapotados que, de teclado, caneta ou lápis em riste, logo começam à procura do erro fácil, da gralha e da asneira, mal abrem um livro, um manual ou um jornal. Mas, enfim...

Preocupa-me muito o efeito a la “big brother” de tudo ver e tudo controlar que assola o mundo da internet. Detesto esses abutres covardes que dilaceram os textos e se refestelam com a desgraça alheia, disputando as migalhas como despojos de guerra. Aborrece-me a forma vil e repugnante como a mídia, os jornais, o povo, troçam da incompetência alheia e se comprazem perante os seus infortúnios. As pessoas assistem a tudo como verdadeiros ascetas.

Odeio mesmo esses pequenos prazeres mesquinhos do brasileiro de dizer mal do próximo e essa incomoda mania de criticar pelo simples desejo de criticar, como se isso fosse um maldito hobby nacional. No entanto julgo os participantes pelas suas atitudes, os comparando a "bobos num confinamento prolongado" e que buscam um sucesso à custa da perda de suas privacidades por não terem algum talento para mostrar, pela qualidade do raciocínio ou por uma obra. O que reflete esses jovens no programas é que a nossa juventude é tão vazia e apática quanto os músculos e bundas expostas de lá pra lá e de cá pra lá na piscina da casa.

Diante dos fatos e das conversas do povo, vez por outra se escuta Pedro Bial (se eu não estiver enganado…) falar “aos demagogos de plantão…” antes de anunciar os “heróis”. Não ameniza em nada tal discurso, nem mesmo ao se acrescentar o pronome possessivo meus antes de heróis, como ele vem fazendo ultimamente, acho que depois de tanto ouvir as pessoas ironizando a expressão e zombando dele.

KY - Perigo, Rede Globo. Eu e a grande maioria do meu círculo de amizades e leitores do KY, no meio desse mar de lama e chacotas, possuímos uma massa cinzenta crítica e uma estrutura cultural que um bom número de brasileiros que assistem à “Rede Bobo” não têm. Falo isto após receber, por e-mails, mensagens de colegas de trabalho sobre o BBB. Recebi de bom grado e agradeço em especial a Luzimel Arruda pelo envio da maior parte destas, o que abarca um texto, uma poesia e uma apresentação do PowerPoint. Em seguida, também apresentarei um vídeo de uma situação que envolveu uma das participantes do programa presente e que de maneira criativa está sendo satirizada.

Faço minhas as palavras transcritas naqueles e-mails, e começo pelo trecho da poesia de Antonio Barreto¹ – cordelista nascido nas caatingas do sertão Baiano, em Santa Bárbara. Para vê-la na íntegra, clique sobre a imagem que vem acompanhado-o. Prontamente, mostrar-lhes-ei isso e o que mais tiver em mãos:

 

E-mail 1 - Retrocesso em Cordel.

BIG BROTHER BRASIL, Um Programa Imbecil. 
Antonio Barreto¹ - Cordelista natural de Santa Bárbara/BA, residente em Salvador.

KY - Cordel do BBB 10. Um Programa Imbecil da TV Globo.


“Curtir o Pedro Bial
E sentir tanta alegria
É sinal de que você
O mau-gosto aprecia
Dá valor ao que é banal
É preguiçoso mental
E adora baixaria.

Há muito tempo não vejo
Um programa tão ‘fuleiro’
Produzido pela Globo
Visando Ibope e dinheiro
Que além de alienar
Vai por certo atrofiar
A mente do brasileiro.

Me refiro ao brasileiro
Que está em formação
E precisa evoluir
Através da Educação
Mas se torna um refém
Iletrado, ‘zé-ninguém’
Um escravo da ilusão.

Em frente à televisão
Lá está toda a família
Longe da realidade
Onde a bobagem fervilha
Não sabendo essa gente
Desprovida e inocente
Desta enorme ‘armadilha’.

[…]

Barreto termina assim
Alertando ao Bial:
Reveja logo esse equívoco
Reaja à força do mal…
Eleve o seu coração
Tomando uma decisão
Ou então: siga, animal...”


Salvador, 16 de janeiro de 2010.

 KY - BBB, Um Programa Imbecil Clique na imagem para ampliar.

 


¹ Barreto é professor, poeta e cordelista. Amante da cultura popular, dos livros, da natureza, da poesia e das pessoas que vieram ao Planeta Azul para evoluir espiritualmente. Graduado em Letras Vernáculas e pós graduado em Psicopedagogia e Literatura Brasileira.  Seu terceiro livro de poemas, Flores de Umburana, foi publicado em dezembro de 2006 pelo Selo Letras da Bahia. Possui incontáveis trabalhos em jornais, revistas e antologias, com mais de 100 folhetos de cordel publicados sobre temas ligados à Educação, problemas sociais, futebol, humor e pesquisa, além de vários títulos ainda inéditos. Ele também compõe músicas na temática regional: toadas, xotes e baiões.


Complementando este ótimo poema, trago um excelente texto – levemente alterado – do outro e-mail recebido, cujo autor é desconhecido (quem souber o nome, por favor indicar):

 

E-mail 2 – Vergonha e Indignação.

BBB 10
A Vergonha…

Que me perdoem os ávidos telespectadores do Big Brother Brasil (BBB), produzido e organizado pela nossa distinta Rede Globo, mas conseguimos chegar ao fundo do poço. A décima (está indo longe…) edição do BBB é uma síntese do que há de pior na TV brasileira. Chega a ser difícil encontrar as palavras adequadas para qualificar tamanho atentado à nossa modesta inteligência.

Dizem que Roma, um dos maiores impérios que o mundo conheceu, teve seu fim marcado pela depravação dos valores morais do seu povo, principalmente pela banalização do sexo. O BBB 10 é a pura e suprema banalização do sexo. Impossível assisti-lo naturalmente, e ver este programa ao lado dos filhos sem constrangimentos.

Gays, lésbicas, heteros… todos na mesma casa, a casa dos “heróis”, como incansavelmente são chamados por Pedro Bial. Não tenho nada contra gays, acho que cada um faz da vida o que quer, mas sou contra safadeza ao vivo na TV, seja entre homossexuais ou heterossexuais. O BBB 10 é  a realidade em busca do IBOPE.

Veja como Pedro Bial tratou os participantes do BBB 10. Ele prometeu um “zoológico humano divertido”. Não sei se será divertido, mas parece bem variado na sua mistura de clichês e figuras típicas.

Se entendi corretamente as apresentações, são 15 os “animais” do “zoológico”: o judeu tarado, o gay afeminado, a dentista gostosa, o negro com suingue, a nerd tímida, a gostosa com bundão, a “não sou piranha mas não sou santa”, o modelo Mr. Maringá, a lésbica convicta, a DJ intelectual, o carioca marrento, o maquiador drag-queen e a PM que gosta de apanhar (essa é para acabar!!!).

Pergunto-me, por exemplo, como um jornalista, documentarista e escritor como Pedro Bial que, faça-se justiça, cobriu a Queda do Muro de Berlim, se submete a ser apresentador de um programa desse nível. Em um e-mail que recebi há pouco tempo, Bial escreve maravilhosamente bem sobre a perda do humorista Bussunda referindo-se à pena de se morrer tão cedo. Eu gostaria de perguntar se ele não pensa que esse programa é a morte da cultura, de valores e princípios, da moral, da ética e da dignidade.

Outro dia, durante o intervalo de uma programação da Globo, um outro repórter acéfalo do BBB disse que, para ganhar o prêmio de um milhão e meio de reais, um Big Brother tem um caminho árduo pela frente, chamando-os de heróis. Caminho árduo? Heróis!? São esses nossos exemplos de heróis?

Caminho árduo para mim é aquele percorrido por milhões de brasileiros, profissionais da saúde, professores da rede pública (aliás, todos os professores), carteiros, lixeiros e tantos outros trabalhadores incansáveis que, diariamente, passam horas exercendo suas funções com dedicação, competência e amor e quase sempre são mal remunerados..

Heróis são milhares de brasileiros que sequer tem um prato de comida por dia e um colchão decente para dormir, e conseguem sobreviver a isso todo santo dia.

Heróis são crianças e adultos que lutam contra doenças complicadíssimas porque não tiveram chance de ter uma vida mais saudável e digna.

Heróis são inúmeras pessoas, entidades sociais e beneficentes, ONGs, voluntários, igrejas e hospitais que se dedicam ao cuidado de carentes, doentes e necessitados (vamos lembrar de nossa eterna heroína Zilda Arns) [A apresentação de PowerPoint é em homenagem a ela.].

Heróis são aqueles que, apesar de ganharem um salário mínimo, pagam suas contas, restando apenas dezesseis reais para alimentação, como mostrado em outra reportagem apresentada meses atrás pela própria Rede Globo.

O Big Brother Brasil não é um programa cultural, nem educativo, não acrescenta informações e conhecimentos intelectuais aos telespectadores, nem aos participantes, e não há qualquer outro estímulo como, por exemplo, o incentivo ao esporte, à música, à criatividade ou  ao ensino de conceitos como valor, ética, trabalho e moral. São apenas pessoas que se prestam a comer, beber, tomar sol, fofocar, dormir e agir estupidamente para que, ao final do programa, o “escolhido” receba um milhão e meio de reais. E ai vem algum psicólogo de vanguarda e me diz que o BBB ajuda a "entender o comportamento humano". Ah, tenha dó!

Veja o que está por de tra$$$$$$$$$$$$$$$$ do BBB: José Neumani da Rádio Jovem Pan, fez um cálculo de que se vinte e nove milhões de pessoas ligarem a cada paredão, com o custo da ligação a trinta centavos, a Rede Globo e a Telefônica arrecadam oito milhões e setecentos mil reais. Eu vou repetir: oito milhões e setecentos mil reais a cada paredão.

Já imaginaram quanto poderia ser feito com essa quantia se fosse dedicada a programas de inclusão social, moradia, alimentação, ensino e saúde de muitos brasileiros? Poderiam ser feitas mais de 520 casas populares; ou serem comprados mais de 5..000 computadores.

Essas palavras não são de revolta ou protesto, mas de vergonha e indignação, por ver tamanha aberração ter milhões de telespectadores.

Em vez de assistir ao BBB, que tal ler um livro, um artigo de Jabor, um poema de Mário Quintana ou de Neruda ou qualquer outra coisa…, ir ao cinema…,  estudar…, ouvir boa música…, cuidar das flores e jardins…, telefonar para um amigo…, visitar os avós…, pescar…, brincar com as crianças…, namorar… ou simplesmente dormir. Assistir ao BBB é ajudar a Globo a ganhar rios de dinheiro e destruir o que ainda resta dos valores sobre os quais foi construída nossa sociedade.


Autor Desconhecido

 

Apresentação de Slides do PowerPoint para Download:
Mídia e BBB.


Agora, “vamos dá uma espiadinha…”:

 


2 comentários :

Hélio disse...

Ufa! Nem sei o que dizer!Nem sobrou o que dizer, na verdade!Tive o sentimento que a pessoa que escreveu o texto conseguiu ler meus pensamentos. Também concordo que herói é um cidadão que consegue sobreviver com sua família, pagando aluguel, água, luz, telefone, fazendo supermercado, comprando medicamentos, pagando passagens com um salário mínimo!
E quanto a vc TJ querido, é o máximo!Eu sou teu fã, te adoro e te admiro mais do que tudo!

Thúlio Jardim disse...

Quer a verdade, Hélio? Sobrou sim foi muita coisa (ruim...) para dizer. Mas não farei isto, deixarei a serviço e critério do meu amigo Low. Ele escreve muito bem!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails
Google Analytics Alternative