terça-feira, 19 de janeiro de 2010

O Paradoxo da Espera do Ônibus

E aí, caras!? Até que enfim posso postar algo aqui! Estava com muita febre, dores corporais que desciam e subiam pela espinha constantemente, além de um terrível congestionamento nasal que quase me impedia de respirar… Durou tanto tempo que, se não bastasse isso, fiquei em nóia – entenda-se aqui a forma carinhosa deu me referir à Paranóia – de que o Influenza A H1N1 havia me pego e o meu fim estava próximo. Por sorte, eu sempre me engano, quando radicalizo.

Agora que estou melhor, a postagem anterior do meu melhor amigo, fez eu lembrar de um vídeo que tinha visto ano passado e admirado bastante. Seu linguajar simples, seu cenário realístico, sua dublagem perfeita, acredito que servirão também para lhes encantar. Sendo assim, exporei o vídeo ao final deste post, juntamente com o texto dele que se segue após o PS e dentro da tabela. Este eu escrevi indo e voltando o player, o que me deu certamente muito trabalho. Mas foi recompensador…

PS – Percebam que se trata de um filme CÍCLICO, isto é, o fim ainda é o começo. Louco, não? Pois é isso mesmo! E o melhor: foi baseado em várias histórias reais (inclusive a minha, a sua, a de um amigo seu… etc.).

 

KY - O Paradoxo da Espera do Ônibus

- Porra! Não passa ônibus… Pelo o que sei ele ainda circula de madrugada. Mas quanto mais ele demora, também mais perto ele está pra passar daqui, né? Porque se esse tempo todo ele não passou, quer dizer que ele tá vindo… pelo menos na teoria, né? Nunca se sabe, né? Sei lá.

- Eu podia pegar aquele outro que dá uma volta do caralho. Esse sim de vez em quando passa. Mas o meu vai mais rápido. Só que a demora do meu ônibus tá pedindo pra eu pegar o outro. Sem falar que agora não tem trââânsito, o motorista sai voado... Mas a volta que ele dá é perigosa, caminho é sinistro! Pô, mas ficar sozinho aqui também é sinistro. E ainda por cima esse outro me deixa num ponto mais longe que o meu. Eu tinha que caminhar um pouco… Mas também não é muita coisa não. Mas aí tinha a chance de acontecer alguma coisa comigo. Mas ficar aqui sozinho também é foda! Só que eu nem sei se passa aqui neste horário, tenho quase certeza que passa. Peguei ele na quarta... nesta mesma hora. Bom, hoje é sábado. Não sei se ele passa nesse horário no final de semana!... Ouvi dizer que passa, mas ninguém às vezes se engana, né?!... Talvez passe, né? Talvez não passe...

- O foda é se o meu ônibus chegar assim que eu entrar no outro. Melhor eu esperar já que pela demora o meu já deve tá chegando. Quanto mais ele demora, mais tá perto ele tá pra chegar. Quanto mais eu espero, menos vou ter que esperar. Cara, que doidera é essa que eu pensei!? ‘Quan-to ma-is eu es-pe-ro, me-nos vou es-pe-rar...’ Bonito isso! Filosófico…

- Oh! Ó o outro aí... Veado! Corno! Nst! Pego ou não pego essa porra? Pego ou não pego? Pego ou não pego?... Ah, já foi também... Pô! O meu já deve estar vindo, só pode, né? Não é possível que não, né?

- O jeito é esperar...


 

Desenho desanimado de Christian Caselli; Desenhos de Gabriel Renner e narração de Chico Serra.

Nenhum comentário :

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails
Google Analytics Alternative